Fechar Página

Sandro Penelú
É Cantor, compositor e violonista profissional, com especialização em violão popular e dissonante. Foi vencedor do Festival de Música da antiga Rádio Cultura, em 1988, recebendo ainda troféu melhor arranjo e melhor interpretação. Em 1989, participou do projeto “OFICINA DE MÚSICA”, coletânea gravada com diversos artistas emergentes da época, na qual, além de intérprete de sua própria música, foi também convidado especial para vocal em todas as faixas e responsável pelos arranjos de violão, participando também como diretor musical daquele projeto. Foi vice-campeão do I MUSIFEST, realizado no palco do Feira Tênis Clube (1991).
 
Conquistou por dois anos consecutivos o troféu Melhor Voz e Violão do Ano (1992 e 1993), promovido pela Nativa Chic Produções. Foi co-produtor e arranjador do disco de Janno, no qual uma música sua foi gravada, “Encanto”, a qual seguiu durante dez anos sendo tocada no rádio! Foi também finalista do I FECON, festival de música realizado em 1997, no palco do CCAAm, participando do disco deste festival em duas de suas faixas, um feito praticamente inédito em se tratando de festivais. Participou também como arranjador do disco de Almery Bastos, no qual tem uma participação especial em uma das faixas e acaba de lançar o seu próprio CD.
 
Sandro Penelú atua em casas de show, em Feira de Santana, há exatos vinte e um anos, sempre desfilando um repertório à base da MPB e Pop Nacional, além de exercer outras atividades vinculadas a arte e a noite feirense, sendo também colunista do Jornal “Feira Noite e Dia”, onde mantém uma coluna sobre atividades artística e uma agenda, na qual divulga seu trabalho e dos demais colegas artistas que a ele solicita.
 
Podemos afirmar que Sandro Penelú, é parte da Cultura e da noite feirense, por seu excelente trabalho, e também por seu espírito de solidariedade aos demais artistas da comunidade.
 
(VIVA FEIRA 2010)
 
SANDRO PENELÚ TEM A EXELÊNCIA DE SER UM CRIADOR INQUIETO, QUE ESTÁ SEMPRE SE RENOVANDO, POR ISSO MESMO, ELE ELABOROU VÁRIOS BLOGS PARA EXPRESSAR SUA ARTE LIVREMENTE. CONHEÇA OS TRABALHOS DE SANDRO, ALÉM DO CANETA AFIADA:









A pinga maldita


Publicado em: 19/11/2019 - 14:11:53


Cedo, a galera já começa a vida de “bebum”, sem saber que estão comprometendo seriamente o seu futuro. No mundo dos famosos, muitos artistas acabaram morrendo jovens, por conta do álcool. Vejamos alguns:

Champignon, da banda Charlie Brown Jr., foi encontrado morto em seu apartamento em São Paulo, com fortes sinais de ingestão de álcool. Ele tinha 35 anos.

Também neste ano, morreu o ator Cory Monteith, aos 31 anos. Ele, que fazia sucesso no seriado Glee como o jovem Finn Hudson, não resistiu a uma combinação letal de heroína e álcool.

Assim como o jovem Monteith, a cantora Amy Winehouse chocou o mundo com sua morte inesperada em 2011. Ela tinha problemas com drogas e morreu aos 27 anos, após ingerir uma grande quantidade de álcool.Considerado uma doença, o alcoolismo está relacionado ao consumo excessivo e prolongado do álcool. Uma das características mais importantes é a negação de sua existência por parte do usuário. Raros são aqueles que reconhecem o uso abusivo de bebidas, passo considerado essencial para livrarem-se da dependência.

Todo individuo que não para de beber quando quer e como consequência muda de comportamento, fazendo coisas que não desejava e não gostaria, é portador do alcoolismo. Ele começa no social e vai tirando do individuo sua qualidade de vida. Chega um determinado momento em que essas pessoas perdem o poder de escolha, mesmo que aleguem o contrário.

Além de ser um grande problema para os familiares, o álcool interfere diretamente na vida profissional das pessoas. No futebol, muitos jogadores reconheceram que o consumo exagerado acabou sendo prejudicial no rendimento dentro de Campo.

Ídolo do Corinthians, Sócrates, que também era médico, cansou de falar publicamente sobre o assunto. Porém, em uma entrevista, num programa de TV, ele afirmou que isso não chegou a prejudicar sua carreira. O ex-jogador morreu no dia 4 de dezembro de 2012, vítima de infecção generalizada de origem intestinal. Sócrates foi mais um craque vitimado pelo álcool.

Jogadores internacionais também ficaram marcados pela doença. O argentino Ortega, por exemplo, revelou em 2008 ter problemas com álcool, que prejudicou sua carreira e a permanência no River Plate. Ele se aposentou no ano passado, aos 38 anos, quando atuava no modesto Defensores de Belgrano, da terceira divisão argentina.

O envolvimento com o álcool envolve um forte componente social, ou seja, o alcoólatra não é visto como uma pessoa doente. Isso distancia a possibilidade de tratamento. É por isso que as pessoas não se importam de se dizer cardíacas, diabéticas ou até cancerosas, mas, alcoólatras, jamais.



Fonte:







Página de 226

| | | | |
Próxima ->




(75) 4141-2757 (fixo) e (75) 8821-6940



New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados