Fechar Página

João Bosco do Nordeste
     João Bosco Silva que adotou artisticamente o nome de João Bosco do Nordeste, é natural de Cajázeiras, estado da Paraíba, filho de Waldemiro Ludgero da Silva e Nelcina de Almeida Silva é casado, com Sônia Nascimento Silva, com quem teve quatro filhos, que são: Danusa Emile, Débora Elaine, Diane Elis e Douglas Eder, é professor, mestre em Educação, trabalhou por mais de trinta anos no Banco do Nordeste do Brasil - BNB, pelo qual é aposentado, foi gestor de projeto da PMFS até dez/2019, é poeta, escritor, multi-instrumentista, e grande ativista e mobilizador cultural. Mudou-se para Feira com sua família ainda menino, em 1958, e aqui teve sua formação, viveu parte de sua infância e adolescência, estudou na Escola João Barbosa de Carvalho, no Colégio Municipal e no Colégio Estadual de Feira de Santana. Possui graduação em Letras com Inglês, e pós-graduação em Literatura e Diversidade Cultural, da Universidade Estadual de Feira de Santana. É pós-graduado também em Negócios e finanças pela Escola Superior Aberta do Brasil. É Mestre em Educação pela Universidad Europea Del Atlantico - UNEATLANTICO (Espanha) e Universidade Internacional Iberoamericana, com Especialidade em Educação Superior – UNINI (Porto Rico), de modo que podemos afirmar, que Feira lhe deu, oportunidades, “regra e compasso”, e ele restitui a cidade que adotou, sem nunca negar suas origens, com muito trabalho e dedicação, participando de sua vida cultural e ajudando na formação dos mais jovens com os conhecimentos que adquiriu durante sua jornada!
      No Banco do Nordeste, exerceu várias atividades, chegando na sua aposentadoria ocupando o cargo de Gerente, conquistado por mérito, na sua trajetória cultural já tem 59 livros publicados, entre solos e antologias, pelas editoras Literarte internacional, Mágico de Oz, Funtitec, Comunicação, AFBNB, Sucesso, EHS, Versejar, Helvétia, Recanto das Letras, Futurama, Gaya, Becalete e Pensador, como compositor tem mais de 100 composições que tem passado a exibir em um canal do YouTube e outros aplicativos da internet. Sua obra justifica ter sido contemplado com várias premiações e atualmente participar das seguintes Academias: Letra de Fortaleza; de Letras de Goiás, de Letras e Músicas de Salvador; de Belas Artes de Minas Gerais, dos Núcleos internacionais da Literarte em Portugal, Chile, Buenos Aires, Luminescence (França), Akademia Alternativa Pegasiane (Albânia/Brasil). Moçambique e Itália (previsão em 2021). Comendador da Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências Letras e Artes.

Livros publicados: 1) Rapsódia de contos curtos – fiscalizando os fiscais do banco; 2) Rapsódia de um Sonhador; 3) Rapsódia de um contador de histórias, 4) Rapsódia de Perebinha na Rádio Quionda, 5) Rapsódia de contos em Literacity, 6) Rapsódia da Literatura Brasileira, 7) Seis Ebooks de Literatura brasileira, 8) Certificação Abecip, 9) Certificação Febraban.



RAPSÓDIA DE LITERATURA

Pensamentos nº 12 - da Série Reflexões vitalícias


Publicado em: 16/11/2021 - 17:11:10


1)   Quem sabe mexer com o coração dos outros é o cardiologista. Os demais são apenas “apaixonistas”, por isso, quando a paixão virar um tédio, procure alguém que lhe entregue o amor como remédio.

2)   Deus dá desejos, qualidades e defeitos. Conforme seja o modo como alguns vão concretizando seus desejos, as qualidades podem ir desaparecendo, e fatalmente ficarão somente os defeitos.

3)   A chuva caindo pela janela pode trazer esperança, fazendo crescer a planta, a flor e o fruto, mostrando para os incrédulos quem verdadeiramente tem o poder absoluto sobre tudo.

4)   No entroncamento da guerra moderna poderemos ainda encontrar pensamentos que falem de paz e amor, por isso somente covarde é desertor.

5)   A ausência não é sentida, se a presença não passou de sombra adormecida. A saudade, portanto, é um sentimento de quem sente a presença em sua vida.

6)   Os covardes se abalam quando estão às claras com as verdades, pois vivem no mundo das sombras das mentiras.

7)   Quando uma mulher torce a boca e chama outra de querida, saia de perto enquanto é tempo, e procure um lugar onde tem a placa da “saída”.

8)   Casar com alguém errado é acertar na burrice da ignorância, que perdura somente enquanto a polícia civil não chega para fazer a sindicância.

9)   Se os motivos são suficientes para justificar uma batalha, a previsão dos péssimos resultados poderá evitar uma guerra.  

10) As correntes da paixão podem aprisionar algum insano, mas somente as algemas do amor podem prender os sensatos sem causar nenhum dano.

11) A beleza é cega e os conselhos são mudos para quem ama. Por isso, não perca seu tempo com os apaixonados em matéria de amor.

12) Morrer é uma simples viagem que nunca tem a bagagem perdida. Quem parte não leva saudades e quem fica não entende a partida.  

13) Tem acomodados que vivem a sonhar, mas não se movimentam para realizá-los, por causa da preguiça. Eles são como portas quebradas sem dobradiça.

14) Há felicidades que não duram mais que uma noite inteira de sono tranquilo, mas é melhor do que qualquer tristeza por um simples cochilo.

15) Quanto mais as mãos trabalham, menos se ganha dinheiro com elas. Quem pensa muito, erra menos, quem pense menos, ganha querelas.



Fonte: João Bosco da Silva







Página de 23

| | | | |
Próxima ->




boscodonordeste@gmail.com

New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados