menu
-Agenda Cultural
-Restaurantes
-Teatros
-Museus
-Comentários
-Fale conosco
-Política de Privacidade
-Utilidade Pública
-Links Feirense
-Artes Cênicas
-Artes Visuais
-Artesanato
-Bandas
-Literatura
-Músicos
ENTRETENIMENTO
-Cinema
-Arquivo de Eventos
-Festival Vozes da Terra
-Festival Gospel 2010
-Natal na Praça 2010
-Micareta 2011
-Últimos Eventos
-Radio Viva Feira
-TV Viva Feira
-Videos Viva Feira
COLUNISTAS
-Beto Souza
-Cezar Ubaldo
-Emanoel Freitas
-Fabiana Machado
-Luís Pimentel
-Maiara Angels
-Raymundo Luiz Lopes
-Sandra Campos
-Sandro Penelú
-Silvana Carneiro
 
 
 
O BANDO ANUNCIADOR É DO POVO

A juventude feirense adotou o "Bando Anunciador", resgatado pouco a pouco pelo Cuca desde 2007, atingindo nesta 11ª edição um crescimento espontâneo e surpreendente.

Publicado em: 13/07/2017 - 10:07:59

A VOLTA DO BANDO
    Em 2007 sob as batutas do Reitor da UEFS, José Carlos e da Diretora do Cuca, Selma Oliveira, houve o resgate de um dos eventos nascido de manifestação espontânea de alguns boêmios e que popularizou-se na cidade até a Igreja suspender os festejos de iniciativas populares em homenagem a padroeira da cidade, "Senhora Santana", por ser profanos e também sob a alegação de ter se tornado violentos.

A RETOMADA DEFINITIVA DA TRADIÇÃO
    Como o que é da alma de um povo, tem uma força natural que não tem explicação lógica, e não sabemos exatamente como é que acontece, o Bando que foi resgatado timidamente em 2007 pelo Cuca/Uefs e fortemente incentivado por Selma Oliveira e sua equipe na direção do Cuca, na época, com apoio integral do Reitor José Carlos, veio crescendo de ano a ano com participação popular cada vez maior e espontânea como na época de sua criação. Hoje, bairros, grupos sociais, colégios, instituições e até mesmo empresas se organizam para fazer parte do furdunço. Nenhuma artista famoso ou grupo musical é pago ou convidado para animar os participante, são bandas improvisadas com músicos feirenses ( amadores e profissionais perfeitamente integrados), organizadas pelos próprios grupos, que contam com a participação dos foliões para cantarem no trajeto, marchinhas antigas e até algumas canções originais compostas para o Bando ou adaptadas de canções consagradas parodiadas pelos participantes mais criativos. Normalmente jocosas e provocativas, mas até inocentes diante de tantas barbaridades que ouvimos hoje na grande mídia.
    Não temos um levantamento de quantos grupos, hoje, compõem o Bando Anunciador da festa da Padroeira, são muitos, o suficiente para, em determinado momento do evento, ocuparem todo trajeto que entende desde a Praça da Matriz, a Rua Conselheiro Franco, a Praça dos Remédios, o Beco do França, a Av. Sr. dos Passos, a Rua Marechal Deodoro, os Becos do Mocó e da Energia, retornando à Rua Conselheiro Franco e dispersando após muito samba e confraternização em frente ao CUCA, ocupando também a Praça da Matriz.
    O trajeto após o resgate de 2007, ia até a Praça Fróes da Mota, mas em virtude da truculência de uma Igreja Evangélica instalada naquela Praça, para evitar conflitos, os organizadores por uma questão cautela entenderam por bem estabelecer o trajeto que informamos acima, o que não tirou o brilho do evento que tem acontecido todos os anos com crescimento espontâneo e espantoso para um evento sem nenhum incentivo dos poder público municipal.
    O Bando neste dois últimos anos passou a contar com eventos diretamente a ele vinculados. O "Jeca Total", bar tradicional da cidade, há alguns anos vem realizando um encontro durante o dia da realização do Bando, após participarem com o "Bando do Jeca" no desfile de rua, reúne participantes, frequentadores e amigos do espaço, para continuarem, em suas dependências, com a festa que já encerrada na Rua, continua no Jeca e normalmente com a disponibilidade de um prato típico da região que é preparado para os frequentadores. O Mercado de Arte Popular pelo segundo ano, promove um evento de samba, que normalmente começa com o Bando ainda na Rua e esquenta com atrações locais de peso e vinculadas a cultura da região, regados a uma feijoada que está se tornando obrigatória e  não dá pra quem quer. Este ano uma das atrações de destaque foi o Grupo da "Quixabeira da Matinha", Samba de Roda autêntico já consagrado na região, que lotou completamente o espaço.
    Tivemos também este ano, uma novidade que empolgou demais o público, que foi a apresentação da Banda Roça Sound, a partir da janela principal do prédio da Filarmônica Vitória, com a presença de outros grupos convidados da Roça e que permaneceu animando o público durante o desfile e mesmo após a dispersão da maioria do festeiros balançou seu público até as primeiras horas da tarde, uma iniciativa que pelo visto agradou demais uma parcela significativa dos frequentadores do Bando, tendo lotado completamente a frente do prédio da Vitória.
    Não temos conhecimento de nenhum apoio da Prefeitura Municipal, apenas a UEFS através do Cuca oferece as diretrizes principais do evento, e mantém uma estrutura que pode servir de apoio em um caso de necessidade, caso ocorra algum imprevisto. A Polícia Militar que dá o apoio logístico ao evento é mínima considerando o número de frequentadores do evento, e não se tem notícias de nenhuma ocorrência no circuito do Bando, que comprometa esta iniciativa popular.
    O BANDO ANUNCIADOR DA FESTA DA PADROEIRA, é hoje, em Feira de Santana, o maior e mais importante evento cultural, ainda promovido pelo CUCA, mas dinamizado pela própria população e de iniciativa da família feirense, alegre, pacífico e animado, ocorrendo sempre com um espírito de integração, motivando encontros de velhos amigos e dos que realmente amam e valorizam nossa cidade.

A RAINHA DO BANDO
    Desde que foi criado nos primeiros anos, os fundadores da fuzarca acharam por bem elegeram entre os adeptos a Rainha do Bando, e nesse ponto o CUCA tem tomado todos os anos a Iniciativa de realizar esta tarefa, promovendo sempre no Teatro Universitário do Cuca um evento que reune show musical, palestras sobre a cultura de um modo geral, e finalmente a eleição da rainha do bando, que julga as candidatas, principalmente pela animação e pela identidade com o evento, sem os critérios tradicionais das eleições de Rainhas deste acontecimentos de um modo geral.
Este ano as eleitas foram:
1º LUGAR - RAINHA - Marcilene Costa ( Lene Costa)
2ª LUGAR - PRINCESA - Viviane Sampaio
3ª LUGAR - PRINCESA - Thaiane de Anastácio
4ª LUGAR - MISS SIMPATIA - Nelza Chistina
5ª LUGAR - MISS TERCEIRA IDADE - Margarida Gonzaga
    O show musical ficou por conta do Grupo "Outros Baianos" (Tanny Brasil e Janno) e a palestra ficou sob o encargo de Elsimar Pondé, Edson Borges e Márcia Porto, que discorreram sobre o tema "QUEM NÃO SE COMUNICA SE TRUMBICA", atribuído e em homenagem a Abelardo Barbosa, ou como era conhecido pela Brasil inteiro, Chacrinha, "O Velho Guereiro";
    No final desta matéria estamos postando seis álbuns de fotos da Eleição da Rainha do Bando, com mais de quinhentas fotos do grande retratista feirense, Beto Souza, que como é seu costume, qualquer evento que ele fotografe fornece uma fiel radiografia dos principais fatos ocorridos, confiram.

PEQUENO RELATO DAS ORIGENS DE ALGUNS EVENTOS POPULARES FEIRENSE
    Os eventos populares a festa da padroeira eram o "Bando Anunciador da Festa de Santana", a "Lavagem da Igreja da Matriz" e a "Levagem da Lenha", todos de iniciativa da população feirense. É certo que com características inteiramente profanas, pelas semelhanças com as festas carnavalescas, com cantos e danças em vias públicas, mas com foco em divulgar a novena e festejos patrocinados pela própria igreja em homenagem a "Senhora Santana", ocasião na qual era disponibilizado o Coreto da Praça da Matriz para apresentação das Filarmônicas feirenses ("25 de Março", "Vitória", "Euterpe Feirense" e a "Banda da Polícia Militar"), e organizavam quermesses nas praças da Matriz e Padre Ovídio. Eram festas memoráveis.
    A "Lavagem da Igreja" que era no início dos dias da novena de "Santana", é um costume comum em em festas semelhantes, em muitas cidades baianas, como até hoje acontece na "Lavagem do Bonfim" em Salvador todos os anos. A "Levagem da Lenha" que é uma manifestação estimulada pela própria Igreja, na época que Feira ainda não tinha luz elétrica, e por isso mesmo, solicitava que os fiéis levassem lenha para depositar na lateral da Catedral, desde alguns dias em que antecediam a novena, com o propósito de montar grandes fogueiras no entorno da Igreja e assim iluminar a quermesse. Estas "levagens de lenhas", com o tempo, ganhou características próprias por iniciativa de populares, e alguns grupos começaram a se organizar para virem dos Distritos e da periferia com animais carregados de lenha no intuito de atenderem o reclame da Igreja e abrilhantar a festa. Com o tempo passaram, inclusive a enfeitar os animais com papéis crepons e outros adornos, alguns mais velhos afirmam ter surgido daí a expressão, "...mais enfeitado do que jegue (ou burro) em dia de levagem.", que atualmente passaram a usar a expressão como "...em dia de lavagem", confundindo a origem da máxima.
    Em relação as fogueiras armadas para iluminar a festa, alguns relatos dão conta de que no princípio eram muitas fogueiras em volta da Matriz, depois passou a ser apenas duas grandes fogueiras de um lado e do outro da Igreja, e finalmente por ter sido arborizado o lado direito na Praça da Matriz, passou a ser montada uma grande fogueira do lado esquerdo da Catedral, mas precisamente na Praça Padre Ovídio, que ia sendo alimentada durante todo período da festa. As fogueiras sobreviveram até depois da chegada a luz elétrica em Feira que no início era com geradores e desligavam à meia noite.
    Mesmo depois que Feira recebeu a energia gerada pela Usina de Bananal, os feirenses mais festeiros continuaram a brincadeira de enfeitar os animais e formarem blocos que vinham dos bairros e da periferia e iam se encontrando até formarem um desfile com bandas improvisadas, cantorias regadas a muita aguardente, como não poderia deixar de ser e só dispersavam á noite, na Praça da Matriz.
    Já o "Bando Anunciador" tem origem a partir do bom humor dos notívagos feirenses que achavam por bem uns quinze dias antes da Festa de Santana, virarem a noite na farra (Muitos relatam que a maioria terminavam a madrugada nos meretrícios) e na manhã seguinte, bem cedo, saíam pelas ruas do centro da cidade, cantando e batucando com o propósito de anunciarem que a festa da Padroeira se aproximava, daí a população pouco a pouco foi aderindo a brincadeira, que tomou proporções e se tornou uma verdadeira tradição, Embora um bispo retrogrado da Igreja tenha tentado destruir foi resgatado e hoje cresce e brilha pela iniciativa popular assegurando a manutenção de uma das nossa tradições, criadas pelo bom humos e pela fé do povo feirense.
    - O Viva Feira, realizou um registro do Bando agora em 2017, com mais de quinhentas fotos do desfile, mais de quinhentas fotos da Eleição da Rainha do Bando, um pequeno registro do evento promovido no MAP, e na frente da Vitória, que podem ser visto e copiados nos álbuns postados ao fim desta matéria! Curtam! Fizemos também um bom registro em vídeos com algumas entrevistas que iremos publicar na proporção que forem editados durante esta e a próxima semana. Acompanhem as postagens e confiram os álbuns

AUTORIA: Viva Feira



SEDUC LEVA ‘MARIA, ESCOMBONE E O VIOLÃO ENCANTADO’ PARA ABERTURA DO DIA DO BRINCAR


Publicado em: 08/05/2017 - 09:05:40

    Os educadores das escolas públicas e particulares de Feira de Santana (BA) estiveram reunidos na manhã da última sexta (5), no Teatro Margarida Ribeiro, para o lançamento do Dia do Brincar, mobilização proposta pela SEDUC - Secretaria de Educação. “Manhã muito prazerosa. Parabéns pela programação”, declara a educadora Iara Martins.
    A abertura do evento foi realizada pelos idealizadores do projeto de iniciação musical para crianças ‘Maria, Escombone e o Violão Encantado’. Na oportunidade, Cid Fiuza (jornalista, músico e compositor) e Lorena Porto (atriz, cantora e compositora) palestraram sobre Música para Crianças e contaram tudo sobre o projeto que encanta professores, pais e filhos. “Foi mágico! Quando o assunto é a cultura da criança, a gente vai correndo. Muito obrigada à Secretaria de Educação pelo precioso convite”, declara Lorena.
    “Música é oxigênio que entra pelo ouvido”. Com essa frase, Lorena Porto inicia sua fala ao citar o escritor Marcelo Xavier em seu livro infantil “Se criança governasse o mundo...”, para mostrar a importância da música na vida das pessoas, sobretudo, no desenvolvimento cognitivo na infância.
    A dupla de artistas apresentou suas canções autorais criadas para tornar a compreensão da teoria musical acessível às crianças, para dar à meninada condições de dialogar com a produção do Brasil e do mundo e para fortalecer o brincar e tudo mais que envolva a cultura da criança. Cid Fiuza se surpreendeu ao ver a plateia cantar junto. “É para isso que nos dedicamos tanto. Sensação muito boa é ter esse reconhecimento de quem sabe bem o que estamos fazendo”, destaca.
    DESAFIOS PREMIADOS
    Depois de apresentar os formatos de atuação do projeto ‘Maria, Escombone e o Violão Encantado’ para festas, eventos infantis e escolas de qualquer cidade do Brasil, Cid e Lorena lançaram dois desafios que causaram alvoroço na plateia.
    Desafio 01 (para escolas): para ganhar um Show Voz e Violão com Maria e Escombone GRATUITO, a escola deve gravar um vídeo com o maior número de crianças possível cantando uma das canções do projeto. O vídeo deve ter tempo máximo de 3 minutos e ser postado no Facebook com as tags #MEVE e #mariaescombone até o dia 17.05.2017. O mais criativo, com mais crianças e maior engajamento garante o show dos bonecos de pano mais musicais de que já se ouviu falar.
    Desafio 02 (Individual): para ganhar um Show Voz e Violão com Maria e Escombone GRATUITO, a pessoa deve gravar um vídeo com uma criança de qualquer idade cantando uma das canções do projeto. O vídeo deve ter tempo máximo de 3 minutos e ser postado no Facebook com as tags #MEVE e #mariaescombone até o dia 17.05.2017. O mais criativo e com maior engajamento garante o show dos bonecos de pano mais musicais de que já se ouviu falar. A pontuação do engajamento será contabilizada com 1 ponto para cada curtida no vídeo, 2 pontos para cada comentário e 4 pontos para cada compartilhamento.
    O primeiro desafio vale para toda e qualquer escola de Feira de Santana (BA) e o segundo para qualquer pessoa residente nesta cidade. O resultado dos desafios será divulgado às 15h do dia 18.05.2017 na fanpage do projeto. ATENÇÃO: as premiações só serão oferecidas se a página oficial do projeto chegar a duas mil curtidas.


AUTORIA: Assessoria de Comunicação Social da Uefs



‘MARIA E ESCOMBONE’ PARTICIPARAM DE PIQUENIQUE CULTURAL

O projeto feirense de iniciação musical para crianças, MARIA, ESCOMBONE E O VIOLÃO ENCANTADO, idealizado pela atriz e cantora Lorena Porto e pelo músico e jornalista Cid Fiuza, foi a principal atração do Piquenique Cultural realizado no último domingo (2), no Nature Espaço, próximo ao distrito de Ma

Publicado em: 03/04/2017 - 15:04:57

    O projeto feirense de iniciação musical para crianças, MARIA, ESCOMBONE E O VIOLÃO ENCANTADO, idealizado pela atriz e cantora Lorena Porto e pelo músico e jornalista Cid Fiuza, foi a principal atração do Piquenique Cultural realizado no último domingo (2), no Nature Espaço, próximo ao distrito de Maria Quitéria (São José).
    Para os organizadores, a dupla encantou e levou o melhor da música brasileira para as crianças. “Hoje, conhecemos @mariaescombone e o Violão Encantado e ficamos apaixonados! Música linda, com uma estética bem cuidada e nos convidando a desacelerar para apreciar. Escolas de Feira de Santana, Salvador e região, as crianças merecem acessar músicas de qualidade. Vida longa!”, destacou a educadora Gabriela Azevedo.
    Maria, Escombone e o Violão Encantado apresentaram as canções do mais novo disco autoral, lançado em março deste ano nas plataformas streaming, assim como músicas de Vinícius de Moraes, Chico Buarque, Toquinho, Arnaldo Antunes, Caetano Veloso dentre outros compositores de obras consagradas indispensáveis ao universo da criança. “Não poupem as suas crianças da riqueza que existe na música brasileira. Apresentem, aproximem, oportunizem sempre que puderem”, declara Lorena Porto no encerramento do show, ainda com o figurino da personagem Maria, melhor amiga de Escombone.

    O DISCO
    As canções compostas pelos próprios idealizadores do projeto já estão na boca da meninada. “Como é maravilhoso ser criança. Você cresceu, mas ainda pode entrar na nossa dança...” é um dos refrões que fazem desse disco encantador. Foi um trabalho musical produzido pelo Estúdio Via Sonora, mixado por Anselmo Roberto e com a direção musical de Cid Fiuza. As canções podem ser ouvidas no próprio site www.mariaescombone.com.br, Youtube ou Soundcloud.
   
    MARIA E ESCOMBONE
    São personagens que protagonizam a missão de promover iniciação musical para crianças. O nome do projeto vem do imaginário popular das brincadeiras infantis. Virar maria escombona, dar cabriola ou, ainda, dar cambalhota é uma deliciosa brincadeira que diverte as crianças e que deu vida a essa boneca tagarela e ao seu amigo boneco cheio de talentos.

    O PROJETO
    Senhoras e senhores, sejam bem-vindos ao mundo dos bonecos de pano mais musicais de que já se ouviu falar. Uma iniciativa recomendada pela doutora honoris causa em educação (Suíça), Anaci Paim, pelo mestre em educação pela UEFS, Murilo Oliveira, e pelo professor Victor Porto, licenciado em música pela UFBA.
    Indicado para teatros, escolas, shoppings, hospitais, praças públicas, salões de festa, quintais de casa ou em qualquer lugar onde há concentração de crianças. De forma bastante lúdica, o projeto torna acessível a compreensão da música e dos seus elementos básicos por crianças, especialmente entre 04 a 10 anos, a fim de dar a elas condições para dialogar com a produção musical do Brasil e do mundo. Estimula o senso crítico para o consumo da música e áreas relacionadas e, ainda, fortalece o brincar e tudo mais que envolve a cultura da criança. “Muitas situações nos despertaram para planejar esse projeto. Mas chegar em festas infantis e observar a trilha sonora tão distante do universo da criança, nos impulsionou para executá-lo o quanto antes”, comenta Cid.

    ATUAÇÃO

    O projeto está em circulação por todo o Brasil em eventos particulares com o formato de show voz e violão para crianças e de projeto escola, onde se vale de conceitos construtivistas criando um relacionamento com os alunos em cinco etapas até culminar no show cênico musical. Além disso, a versão para o teatro está com sua estreia programada para o mês de julho, em Feira de Santana/BA. Para contratar algum dos formatos é só entrar em contato pelo WhatsApp 75 99264.1507 ou mandar e-mail para contato@mariaescombone.com.br.
    Esta é mais uma produção da Fundação Culturasss – a cultura brasileira em rede, e tem a direção artística de Fernando Souza; direção musical Cid Fiuza; assessoria de imprensa LXP Marketing e Cultura; fotografia Maiara Nunes; ilustração Chu Oliveira; texto, concepção, figurino, maquiagem, cenário, iluminação, sonoplastia e atuação, Lorena Porto e Cid Fiuza.


AUTORIA: Release de LXP Assessoria de Imprensa
Fotos




SANDRA CAMPOS - UMA CRONISTA FEIRENSE

Lançando seu primeiro Livro de crônicas, “O homem avulso”, em sua cidade natal, a escritora proporcionou momentos memoráveis aos amigos, parentes e todos os demais presentes ao evento!

Publicado em: 16/02/2017 - 16:02:06

    Feirense de corpo e alma, hoje radicada em Rondonópolis-MT, onde é cronista do Jornal "A Tribuna, de Rondonópolis-MT", e também colunista do Viva Feira, lançou recentemente seu primeiro livro contendo uma seleção de suas crônicas organizadas dentro da sua visão de escritora, nestes novos tempos em que rever o passado recente e refletir os comportamentos de nossos dias, nossas dores e nossas alegrias é um presente para os amantes da literatura e um patrimônio para o futuro da própria história.
    Com um olhar puro e honesto de nossa realidade, as crônicas de Sandra nos proporcionam momentos de regozijo incomparável, ela consegue nos transportar para momentos de
extrema felicidade, quando passeia com o leitor (ela e suas amigas) na Feira da Estação Nova, ou nos faz mergulhar na nossa existência abordando questões sobre o envelhecer, ou simplesmente sobre fatos de nosso dia a dia. A escritora é sensível, observadora e perspicaz, conseguindo com maestria colocar essas virtudes no papel de modo agradável, capaz de envolver o leitor e fazê-lo viajar para a realidade que descreve com tanta plausibilidade.
    Com o apoio de sua família talentosíssima, pois tanto seu esposo Marcelo Brito Silva como seu filho Daniel, transbordam dons artísticos de maior qualidade, expressados na oportunidade do lançamento do livro, “O homem avulso”, com muitas boas músicas. Sandra ainda premiou os presentes com trechos de seus ótimos textos, em uma sequência que oferece a todos uma ideia de quão agradável é a leitura de suas crônicas.
    O lançamento foi realizado no espaço da "Modelar Decorações", que fica localizado na Rua Felinto Marques de Cerqueira, nº 603, Bairro dos Capuchinhos, e que ficou inteiramente lotado por amigos, parentes e admiradores da escritora feirense. Torcemos e esperamos que em breve esteja lançando seu segundo livro.
    O Viva Feira compareceu ao evento e realizou um pequeno registro fotográfico que pode ser conferido no álbum postado ao fim desta matéria.

AUTORIA: Viva Feira



ESCOLA MUNICIPAL GENTE MIÚDA ENCERRA O ANO LETIVO DE 2016 COM SHOW DE TALENTOS

As boas iniciativas se espalham pelas escolas sem necessidade de nenhuma imposição legal!

Publicado em: 23/01/2017 - 13:01:00

    Ser um professor, é mais do que ter um diploma qualquer, seja em curso de pedagogia do ensino médio, uma simples licenciatura, um mestrado, ou outro que queiram inventar para exercer esta função na sociedade. Ser um professor é também ser um educador, que apesar de bastante distinto do educador familiar (pai, mãe, etc.), e que exige muito mais que um mero diploma, exige vocação, paixão pela função social que exerce, consciência de estar preparando cidadãos para o futuro. É um sacerdócio. É ter devotamento pelo exercício da função e saber a importância deste exercício para sociedade. É ajudar no processo de construção de homens, que dentre criaturas de Deus, sem dúvida é a mais difícil de dar formação digna e equilibrada.
    O Viva Feira tem acompanhado várias iniciativas realizadas em estabelecimentos educacionais, em nossa cidade, tanto particulares como públicas, e nos próximos meses estaremos homenageando algumas dessas unidades de ensino, que têm desenvolvido atividades culturais e artísticas diretamente ligadas a formação dos indivíduos em nossa sociedade, de forma
admirável, com criatividade e o mínimo de recursos, combatendo de forma frontal a perda de valores que testemunhamos no comportamento da grande maioria da população nos últimos tempos. Usam de forma sábia, as artes e os esportes que são elementos de integração e também de resolução das diferenças sociais, étnicas, religiosas e até econômicas mais eficientes que dispomos para orientar nossos jovens.
    A Escola Municipal Gente Miúda, no final do segundo semestre do ano passado, comemorando encerramento do ano letivo de 2016, realizou um evento memorável ao qual denominaram de Show de Talentos.
    O Acadêmico Professor Raymundo Luiz Lopes, participou ativamente do evento, tendo inclusive ministrado uma Oficina de Criação Literária, com o objetivo de demonstrar aos alunos que eles são capazes de criar textos, poesias e prosas, procurando inclusive incentivar a criação com vistas na apresentação no show.
    O Show de Talentos teve a qualidade de desenvolver as mais variadas atividades procurando estimular os talentos nas muitas manifestações artísticas mais conhecidas, e naturalmente nas mais bem aceitas e recepcionadas pelos alunos da Gente Miúda, que realmente brilharam no show realizado com a presença dos pais e amigos dos talentosos alunos/artistas.
    No show do dia 29/12 houve apresentações de: Hip Hop, Coral do 2º ano e Apresentação de dança que denominaram, As empreguetes; Coreografia, As Gladiadoras;
    Palhaços e apresentação musical denominada, Natal das Crianças
    Segundo o Professor Raymundo Luiz Lopes que também na ocasião representava a Academia Feirense de Letras, da qual é atualmente Vice-Presidente: "A ideia de uma oficina de criação poética surgiu como forma de despertar nos alunos um outro olhar sobre a poesia." E ainda que "O desafio foi grande na turma, pois consistia não só em demonstrar que a poesia não era tão inacessível e distante, como também estimulá-los a produzir o seu próprio poema."
    O Show de Talentos resultou em um absoluto sucesso, merecendo a aclamação da comunidade vinculada a instituição e pelo empenho e dedicação parabenizamos a toda equipe e aos alunos pela realização desse Projeto que comprova que o ensino pode ser privado ou público o resultado vai depender sempre da inspiração, dedicação e compromisso dos dirigentes da instituição em preparar com carinho o futuro de nossa crianças.
    Confiram algumas fotos do Show de Talentos da Escola Gente Miúda!

AUTORIA: Viva Feira e Fotos de Raymundo Luiz
Fotos




TRANSCENDÊNCIA POR SÉRGIO SMERA

O primor flagrante em cada peça assinada pelo artista, enche os olhos de todos os visitantes da exposição.

Publicado em: 07/10/2016 - 15:10:19

    A Galeria Carlo Barbosa usa critérios de qualidade na seleção para as exposições que abriga, procurando sempre oferecer ao público feirense o que se produz de melhor artisticamente em Feira e na região, e vez por outra, em locais mais distantes quando os artistas se propõe trazer o trabalho para expor ao público feirense.
    A rigor, por tradição, Feira de Santana é uma cidade importantíssima na produção das artes plásticas de um modo geral, seja no cenário nacional, como também no cenário internacional, temos artistas que são reconhecidos em várias partes do Mundo, como Raimundo Oliveira, Carlo Barbosa (falecidos) e em plena atividade, Juraci Dórea, César Romero, entre outros nomes detentores de trabalhos maravilhosos. Temos certeza de que muitos dos nossos artistas, mais dia menos dia, vão ter um reconhecimento maior, em virtude da qualidade dos trabalhos que apresentam em suas exposições. São surpreendentes, mantem-se atualizados às melhores e mais modernas técnicas, assim como, desenvolvem técnicas próprias e muitas vezes completamente inusitadas.
    Sérgio Smera representa exatamente estas características do artista feirense, a soma de talento, sensibilidade e criatividade no desenvolvimento de técnicas próprias em muitas das suas peç
as, privilegia certos detalhes em seus trabalhos que parecem estar buscando a alma dos personagens que cria e representa, suas pinturas já mostravam esta característica, agora as esculturas exibidas na exposição "TRANSCENDÊNCIA" trazem a mesma inspiração, encantando e envolvendo a assistência no mergulho do artista.
    Na apresentação da exposição de autoria Luis Alberto Barboza, afirma que Sérgio "estabeleceu-se de fontes inspiradoras como Gian Lorenzo Bernini e Auguste Rodin", no entanto existem alguns trabalhos que além de mostrar uma certa inspir
ação destes mestres, sente-se também a presença da inspiração de El Greco na captação de expressões humanas de dor e sofrimento com uma qualidade impressionante.
    A exposição "TRANSCENDÊNCIA" é um destes eventos que nós gostamos de afirmar como imperdíveis, e recomendado pelo Viva Feira.
    O Viva Feira acompanhou a vernissage e realizou um registro fotográfico com objetivo de estimular a visitação da exposição, que permanecerá aberta ao público até o dia 29/10/2016, das 08h00 às 12h00 e das 14h00 às 18h00. Confiram as fotos no álbum postado abaixo:

AUTORIA: Viva Feira



"RECORTES DE FEIRA DE SANTANA" - UM OLHAR LÚDICO SOBRE A CIDADE

Antônio Carvalho de Novaes, lança um olhar severo e carinhoso sobre nossa cidade, como um grito de alerta para salvarmos o patrimônio histórico que ainda nos resta

Publicado em: 06/10/2016 - 21:10:40

    Tendo nascido em Juazeiro, Antonio  Carvalho de Novaes veio residir em Feira em  1972 e por esta terra desenvolveu afeição a ponto de afirmar ser feirense de coração e a ela tem dedicado sua atenção e sua arte. É profissional de Ciências Contábeis e funcionário do Ministério da Fazenda, mas se realiza como artista plástico de raro talento, sendo autodidata, tem uma sensibilidade e olhar extremamente atento a detalhes que para a maioria das pessoa comuns passa despercebido.
    Ligia Motta, especialista em Artes Visuais, Cultura e Criação vê a exposição Recortes de Feira de Santana com o seguinte olhar: "Sua atual exposição merece um destaque especial, graças a capacidade ímpar de retratar detalhes arquitetônicos minuciosamente escolhidos e reproduzidos artisticamente à maneira hiper-realista. Desta forma, registra monumentos históricos da cidade de Feira de Santana preservando sua memória tangível e fixando o belo do nosso presente e passado."
    Membro da Academia de Cultura da Bahia, e com exposição na Holanda no currículo,  Antonio  Carvalho de Novaes, é também um defensor do patrimônio histórico de Feira de Santana e da divulgação da cultura e da arte aqui produzida, se mostra um verdadeiro feirense, e este fato se reflete fortemente em sua obra.
    Um detalhe no "M" na grafia original da fachada de nosso prédio histórico, o Mercad
o de Arte, demonstra de forma inequívoca o preciosismo do artista e o cuidado com o que Feira deve conservar para manter sua identidade cultural e histórica. Em outro momento retrata uma escultura que esta sendo destruida pelo tempo e pelo descaso em tom de denúncia para alertar as autoridades da necessidade de salvar o que ainda nos resta.
    Essa demonstração de amor refletida na exposição "Recortes de Feira de Santana" por esse feirense de coração, foi muito bem visitada em sua inauguração e no período que permaneceu na Galeria Carlo Barbosa, ficando o alerta para que as pessoas que não tiveram o privilégio de conhecer o trabalho de  Antonio  Carvalho de Novaes, não percam a primeira oportunidade que houver outra exposição em nossa cidade.
    O Viva Feira acompanhou a Vernissage e registrou em fotos, organizadas no álbum postado a seguir:

AUTORIA: Viva Feira



UEFS EDITORA LANÇA MAIS 15 TÍTULOS E COMPLETA SEIS ANOS COM 181 OBRAS PUBLICADAS


Publicado em: 06/10/2016 - 14:10:46

    Na tarde desta quinta-feira (29), a Uefs Editora lançou mais 15 títulos, de diversas áreas do conhecimento, a exemplo de Literatura, História, Ciência da Computação, Etnografia, Geografia, Filologia, Saúde e Educação. Em seis anos de atuação, foram 181 obras publicadas, número considerado significativo pelo editor Valdomiro Santana. "Se considerarmos que há seis anos só havia três livros editados, número ainda insuficiente para se fazer um catálogo, o que se verifica, no curso dos anos seguintes, é um crescimento exponencial de novos títulos à disposição dos professores, pesquisadores e estudantes da Universidade Estadual de Feira de Santana e de outras universidades da Bahia e demais estados”, observou.
    Presente ao evento, o reitor da Uefs, professor Evandro do Nascimento Silva, salientou que "os lançamentos são a continuidade de um trabalho que alcançou um alto nível de qualidade e que assumiu o compromisso de dar aos autores, professores e servidores técnicos da Uefs a oportunidade de divulgar as suas produções científicas. "Em um prazo curto, a Uefs Editora chegou a um volume bastante expressivo de publicações, para uma editora universitária. Isso demonstra a consolidação desse projeto e a confiança que a comunidade acadêmica deposita na Editora ao destinar a sua produção para ser divulgada", ressalvou, afirmando que, nos próximos anos, "a tendência é que o trabalho continue com o mesmo patamar de qualidade dos títulos publicados até hoje".
    Todas as obras publicadas pela Uefs Editora estão à venda na Livraria do Programa Interuniversitário para Distribuição do Livro (PIDL/ Uefs), localizada no Centro Administrativo Universitário I (CAU I), Campus Universitário.
    Sobre a Livraria Uefs
    A Livraria Uefs possui mais de 30 anos de funcionamento e surgiu junto com o Programa Interuniversitário para Distribuição do Livro (PIDL). Nos últimos três anos mais de 8 mil obras foram vendidas. Atualmente 900 títulos de editoras como UNESP, Editus, Edufba, Eduneb, Editora 34, Edunit, Editora Boitempo e Martin Claret podem ser encontrados na livraria.
    Os principais objetivos da livraria são oferecer à comunidade interna e externa publicações das mais importantes editoras universitárias do país, fomentar a leitura e a pesquisa através da venda de títulos de grande relevância com preços acessíveis.
    A Livraria Uefs funciona de segunda a sexta-feira, de 8 às 12h e de 14 às 17h30. Outras informações através do telefone (75) 3161-8007 ou do e-mail livraria@uefs.br.

AUTORIA: Assessoria de Comunicação Social da Uefs



REGISTRO: MINHA FÊRA - UMA DECLARAÇÃO DE AMOR

Marcio Punk é um feirense de nascimento e sem dúvida um apaixonado pela sua terra natal e demonstrou isso de forma clara em sua exposição na Galeria Carlos Barbosa.

Publicado em: 06/10/2016 - 10:10:30

    No dia 08 de julho a Galeria Carlo Barbosa realizou a vernissage da exposição "Minha Fêra" do multiartista Marcio Punk, um indivíduo inquieto e dono de uma criatividade ímpar, que foi batizado com o nome Marcio Antonio Silva dos Santos e que por ser muito imperativo vem acumulando apelidos como "Marcio Iron", quando mantinha um trabalho com uma banda de rock aqui em Feira, e outros que vão se perdendo com o tempo, que cuida de manter aqueles que tem maior representação social com as atividades do indivíduo.
    Marcio, como informa o folheto distribuído na vernissage de sua exposição é músico, cantor, compositor, percussionista, flautista, pintor, tatuador, pulverógrafo, ator, ativista social e ativista cultural, por enquanto, pois inquieto como sabemos que ele é não demora a iniciar uma nova atividade ou desenvolver uma nova técnica artística.
    É o criador do movimento "O Beco é Nosso", que resultou em uma atividade super bem sucedida, que tem movimentado Feira de Santana nas manhãs de domingo, e hoje, recebe inclusive, apoio do governo do Estado, estando divulgando a arte de boa qualidade da região.
    Marcio também é o criador da técnica artística da "pulverografia" que é a mistura de três outras técnicas dominadas pelo Artista. Segundo Emerson Azevedo do site "Terra de Lucas" que acompanha o trabalho de Márcio de perto, as técnicas que resultaram na "pulverografia" são: "a pulverização, aerografia e grafite, com traços elaborados a partir de materiais recicláveis, formando imagens futurísticas, cibernéticas, surrealistas, realistas, as quais começaram com ele juntando peças diversas oriundas do descarte urbano, mais conhecido como lixo, que nas mãos de Punk transformam-se em luxo, arte e decoração. Esta arte fez nascer o projeto `Cutulra e Arte em toda parte´ que leva essas artes onde elas normalmente não chegariam por outras vias."
    Ainda segundo Emerson sobre Márcio Punk: "A repercussão do trabalho é atestada quando observados alguns dos espaços pelos quais o artista já passou: VI Feira de Cultura Afrobrasileira do Iguape (2013), Aberto do Cuca (2014), Feira Noise Festival (2014/2015), Bonfim de Feira (2015), Instituto de Educação Gastão Guimarães (2015), IFBA - Feira de Santana (2015), 8ª Feira do Livro FSA (2015), São Gonçalo dos Campos (2016)."
    Essa exposição realizada na Galeria Carlo Barbosa teve a excelência, como diz o nome do evento (Minha Fêra), de demonstrar o amor do artista por sua terra natal, que culmina representado por uma mesa expondo frutas e legumes e uma garrafa de cachaça no centro, na frente da entrada da Galeria, representando a feira livre, que é sem dúvi
da o maior ícone da existência de Feira de Santana.
    Outra qualidade insofismável da exposição de Marcio Punk foi a de levar um público jovem e alternativo a um espaço que além de refinado é convencional criando uma integração muito interessante e rica, e possibilitando uma formação de público mais heterogênea e incomum.
    O Viva Feira acompanhou a Vernissage e tirou algumas fotos que estão registradas  no álbum postado abaixo, fixando este evento como uma demonstração de arte popular e do talento feirense. Confiram as fotos:

AUTORIA: Viva Feira



Mais Notícias

    Afirmar "o bom poeta" em referência a Markus Vinícius &...

    Anelis Assunpção se apresentou com banda em Feira de Santana no ...

    Os dicionaristas, entre outros conceitos, atribuem a palavra "tradi&ccedi...

    A noite do dia 12 de junho foi movida à música e sentimento de s...

    No último dia 2 (dois) do mês em curso, Gerson Pedro lanço...

    Como em outros anos a comunidade universitária comemorou com atividades...

    Contando inclusive com a presença do Prefeito da Cidade, José Ro...

    Com o feeling dos bons empreendedores, os promotores do Forró das Antig...

    Em clima de comemoração dos 40 anos da UEFS, uma festa que deve ...

    A noite de domingo começou com suaves acordes da guitarra de Adauto Bor...


Página de 18
| | | | |

 

Apoio Cultural:


New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados