Fechar Página

Sandro Penelú
É Cantor, compositor e violonista profissional, com especialização em violão popular e dissonante. Foi vencedor do Festival de Música da antiga Rádio Cultura, em 1988, recebendo ainda troféu melhor arranjo e melhor interpretação. Em 1989, participou do projeto “OFICINA DE MÚSICA”, coletânea gravada com diversos artistas emergentes da época, na qual, além de intérprete de sua própria música, foi também convidado especial para vocal em todas as faixas e responsável pelos arranjos de violão, participando também como diretor musical daquele projeto. Foi vice-campeão do I MUSIFEST, realizado no palco do Feira Tênis Clube (1991).
 
Conquistou por dois anos consecutivos o troféu Melhor Voz e Violão do Ano (1992 e 1993), promovido pela Nativa Chic Produções. Foi co-produtor e arranjador do disco de Janno, no qual uma música sua foi gravada, “Encanto”, a qual seguiu durante dez anos sendo tocada no rádio! Foi também finalista do I FECON, festival de música realizado em 1997, no palco do CCAAm, participando do disco deste festival em duas de suas faixas, um feito praticamente inédito em se tratando de festivais. Participou também como arranjador do disco de Almery Bastos, no qual tem uma participação especial em uma das faixas e acaba de lançar o seu próprio CD.
 
Sandro Penelú atua em casas de show, em Feira de Santana, há exatos vinte e um anos, sempre desfilando um repertório à base da MPB e Pop Nacional, além de exercer outras atividades vinculadas a arte e a noite feirense, sendo também colunista do Jornal “Feira Noite e Dia”, onde mantém uma coluna sobre atividades artística e uma agenda, na qual divulga seu trabalho e dos demais colegas artistas que a ele solicita.
 
Podemos afirmar que Sandro Penelú, é parte da Cultura e da noite feirense, por seu excelente trabalho, e também por seu espírito de solidariedade aos demais artistas da comunidade.
 
(VIVA FEIRA 2010)
 
SANDRO PENELÚ TEM A EXELÊNCIA DE SER UM CRIADOR INQUIETO, QUE ESTÁ SEMPRE SE RENOVANDO, POR ISSO MESMO, ELE ELABOROU VÁRIOS BLOGS PARA EXPRESSAR SUA ARTE LIVREMENTE. CONHEÇA OS TRABALHOS DE SANDRO, ALÉM DO CANETA AFIADA:







Deu no Rádio - As melhores de 2023


Publicado em: 01/02/2024 - 10:02:15


*DEVE SER DO DETRAN – Num programa de rádio, o Âncora estava anunciando alguns produtos de um de seus anunciantes, quando veio com essa: “Todo tipo de material e massa IPVA de primeira” (Cá, cá, cá, cá!)

 

*ÂNCORA ALUADO - Logo cedo, um repórter policial deu suas notícias direto do Complexo Policial e anunciou mais um homicídio ocorrido em Feira de Santana, tendo como vítima um rapaz de 20 anos de idade. Ao ouvir a notícia, o apresentador declarou com toda classe: “Graças a Deus, nenhum homicídio no final de semana, em Feira”. O repórter, então, repetiu a nota, frisando palavra por palavra. O âncora ouviu atentamente e concluiu solene: “Portanto, mais um menor de idade é assassinado em Feira de Santana”.

 

*DÁ PRA RESPONDER? - Esta ocorreu em um programa de notícias, quando um repórter, entrevistando uma determinada autoridade que deixava o cargo em Feira de Santana, fez a seguinte pergunta: “O que é que o senhor deixou de não fazer e que poderia fazer?”

 

*AGORA, A NASA VEM - Um âncora de rádio, aqui em Feira, comentava assim a morte de um bebê: “A mãe é uma menina de rua, que “engravidou-se” e só Deus sabe quem é o pai. (Cá, cá, cá, cá)

 

*ALGUÉM SABE QUE REUNIÃO É ESSA? - Um apresentador  comentava uma determinada reunião, ocorrida fora do período normal: ”Trata-se de uma reunião extravagante, feita fora do calendário da entidade” (Cá, cá, cá, cá, cá)

 

*APRESENTADOR TRAPALHÃO - Um apresentador dava e comentava assim a previsão do tempo em Feira de Santana: “Sol com chuva, nesta manhã de sábado, em Feira de Santana. A probabilidade de chuva é de 60%. Portanto, não haverá chuva em Feira.” (Sem comentários) kkkkkkk

 

*INACREDITÁVEL - Numa rádio de alcance nacional, uma autoridade dava uma entrevista a respeito de crânios encontrados em uma determinada cidade: “Trata-se de caveiras de pessoas que já morreram, portanto devemos ter todo o cuidado nas investigações.”

 

*COITADA DA MACONHA - Depois que a polícia apreendeu uma boa quantidade de maconha, um repórter policial finalizou assim a sua participação: “E a maconha foi para o DPT para ser necropsiada”. (Cá, cá, cá, cá).

 

*ATROPELO GRAMATICAL - Num programa, pela manhã, o âncora comentava sobre a situação de dificuldade de se viver hoje em dia e finalizou assim: “Pois é, meus amigos, todo dia temos que matar não só um leão, mas uma manada inteira”. (Sem comentários)

 

*MUDANDO A GEOGRAFIA - Numa transmissão de uma partida pelo Brasileirão, o comentarista se referia a um dos times, que teve de fazer várias partidas em poucos dias, e terminou assim: “Muitas viagens, desgaste, e agora essa viagem pra Goiânia, no Nordeste brasileiro.” (Diploma nele! kkkkkkk)



Fonte:







Página de 324




(75) 4141-2757 (fixo) e (75) 8821-6940



© 2024 - Todos os direitos reservados - www.vivafeira.com.br