menu
-Agenda Cultural
-Restaurantes
-Teatros
-Museus
-Comentários
-Fale conosco
-Política de Privacidade
-Utilidade Pública
-Links Feirense
-Artes Cênicas
-Artes Visuais
-Artesanato
-Bandas
-Literatura
-Músicos
ENTRETENIMENTO
-Cinema
-Arquivo de Eventos
-Festival Vozes da Terra
-Festival Gospel 2010
-Natal na Praça 2010
-Micareta 2011
-Últimos Eventos
-Radio Viva Feira
-TV Viva Feira
-Videos Viva Feira
COLUNISTAS
-Alberto Peixoto
-Emanoel Freitas
-Luís Pimentel
-Raymundo Luiz Lopes
-Sandro Penelú
 
 
 
OLHOS DE COLHEITA: 50 ANOS DE CARREIRA DE JERÔNIMO

Exposição no Museu de Arte Contemporânea

Publicado em: 14/05/2024 - 15:05:49

    Jerônimo iniciou sua trajetória como artista profissional numa exposição individual no Museu Regional de Arte (no mesmo edifício onde hoje está o Museu de Arte Contemporânea – MAC) no dia primeiro de junho de 1974, aos 16 anos de idade. E em maio de 2024 ele volta ao mesmo local para comemorar 50 anos de carreira. Nestas cinco décadas, o artista construiu uma obra prolífica e versátil, com dezenas de exposições e transitando em diversas formas de expressões artísticas.
    Nesta exposição comemorativa, estão expostas esculturas, desenhos, gravuras e pinturas, todas produções recentes. O universo temático das obras tende a se concentrar em figuras humanas, mas dentro deste universo há uma grande variação que explora diversos aspectos do humano, do divino ao cotidiano, do masculino ao feminino, do maravilhoso (carrancas) ao social (trabalhadores do campo). Há também uma forte marca de territorialidade em suas obras, que remetem, seja pela estética, seja pelos temas, à realidade e ao imaginário nordestinos.
    Sobre o título da exposição, "Olhos de colheita", há uma explicação. Recentemente, Jerônimo, que nasceu em Feira de Santana mas mora há mais de 15 anos em Ibicoara, na Chapada Diamantina, pegou a mania de desenterrar pedras. Se alguma pedra lhe chama atenção, ele pega enxada e a desenterra. Depois, lava a pedra, descansa ela ao sol e a guarda junto com as outras pedras que já havia desenterrado. Ele vê em cada pedra dessas uma beleza singular, e é contagiante ouvi-lo falar sobre elas.
    Para mim, que acompanho há mais de 20 anos o processo criativo de Jerônimo, a paixão e a entrega quase obsessivas de como ele se dedica às suas pedras me lembram muito o modo como ele se relaciona com a arte. Da mesma maneira que ele colhe as pedras que encontra por aí, Jerônimo pinta, desenha, entalha e esculpe como se estivesse colhendo alguma forma que lhe chega por meio da intuição, reflexão ou observação do mundo. Essa intensidade e essa urgência, que ditam sua ética de criação, marcam sua obra e são, para mim, algumas das suas maiores virtudes.

AUTORIA: Autoria - Davi Santana de Lara - 4 de maio de 2024



ISABELLE ANCHIETA VISITA FEIRA DE SANTANA, CACHOEIRA E SALVADOR PARA LANÇAR LIVRO SOBRE MARIA QUITÉRIA E JOANA D´ARC

A socióloga Isabelle Anchieta reconta a trajetória de duas figuras femininas marcantes que subverteram os valores da época e expõe como a influência delas impactou o mundo

Publicado em: 10/05/2024 - 00:05:35

    Durante o mês de maio, Isabelle Anchieta, renomada socióloga brasileira, vem à Bahia lançar a obra Revolucionárias, que entrelaça as histórias de Joana d’Arc e Maria Quitéria. Os encontros com a autora em Feira de Santana serão nos dias 15 e 16 de maio, sendo que no dia 15 será no distrito de Maria Quitéria. Os demais encontros seguem por Cachoeira no dia 17, na Câmara de Vereadores e Salvador no dia 18, na Livraria Escariz.
    A autora explica quais foram as habilidades, as astúcias e os enfrentamentos dessas duas personagens, para subverter os valores da época a favor delas. Publicado pela Editora Planeta, o livro é divido em duas partes em que explora minunciosamente a vida de cada uma, analisando a infância, a criação e as motivações que as levaram a se tornarem figuras históricas marcantes, apesar dos empecilhos da época e do latente machismo na sociedade.
    Apesar da distância temporal e territorial, Isabelle cruza a narrativa de duas grandes guerreiras ao evidenciar as similaridades que as conectam. Ambas viveram em períodos históricos impregnados por entraves culturais, legais, institucionais, à liberdade de escolha e à ação das mulheres. Mesmo assim, Joana liderou grandes cavaleiros franceses e era respeitada pelo rei. Maria Quitéria foi a única soldada reconhecida ainda em vida pelo imperador Dom Pedro I. A autora busca, ao recontar a história com um olhar social e feminino, responder à pergunta primordial: como elas alcançaram tais honrarias?
    A partir da análise da vida dessas importantes figuras históricas, a autora estabelece uma ponte para reflexões sociológicas atuais e pertinentes. No decorrer da obra, a socióloga aprofunda temas que ainda permeiam a sociedade, como a polarização social, o nacionalismo, a religião, a estereotipização, a intolerância, as disputas por reconhecimento, as contradições nas relações entre homens e mulheres, a liderança carismática e a expressão de si.
    Para fundamentar a obra, a autora não limitou os estudos a documentos históricos, ela reuniu o próprio material de campo que acrescentou auxílio visual à narrativa. Espalhados em diversos capítulos, há variados QR codes que direcionam os leitores e as leitoras para vídeos, gravados pela própria socióloga, de obras de arte, museus e locais reais por onde Joana d’Arc e Maria Quitéria passaram, como o local onde viveram.
    Em Revolucionárias, Isabelle reconstrói a história das protagonistas, de uma forma nunca vista, ao evidenciar que Joana e Quitéria são mais do que imagens de mulheres que participaram de momentos decisivos da construção da ideia de nação em seus países. Elas tornaram as próprias lutas símbolos atemporais, romperam com um sistema secular e remexeram na ordem dos costumes. “Foram modernas, antes que a modernidade firmasse seus pés.”, escreveu Anchieta.

AGENDA
Feira de Santana
    15 de maio (Distrito de Maria Quitéria)
Mediador: Elias Enock
Endereço: Colégio Estadual do Campo Maria Quitéria - R. Real, 5384-5444 - Novo Horizonte, Feira de Santana - BA, 44036-403
    Elias Enock Gomes de Moraes, nasceu em 17 de março de 1954, na localidade de São José das Itapororocas, hoje Distrito de Maria Quitéria, Munícipio de Feira de Santana, estado da Bahia, cresceu e vive até hoje no citado distrito. Filho de uma professora, foi incentivado a escrever durante a sua infância, o que o levou a participar de diversos segmentos literários, trabalhando ainda em um jornal local do município. Hoje aposentado como funcionário público estadual, e com um livro publicado, participa diversos programas de leitura, incentivando a leitura e conhecimento da história de Maria Quitéria
    16 de maio
Mediador: Lélia Fernandes
Endereço: Centro Universitário de Cultura e Arte – CUCA - Rua Conselheiro Franco, 66 - Centro. CEP 44002-128. Feira de Santana – BA
    Lélia Vitor Fernandes de Oliveira é licenciada em Letras e Pedagogia, pela UEFS. Dentre as várias funções exercidas na área da educação foi Secretária de Educação de Feira de Santana/BA e de Santa Bárbara/BA e Diretora do Departamento de Ensino da Secretaria Municipal de Educação de Feira de Santana. Na área cultural, atualmente é Presidente   da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana; membro da Academia de Cultura da Bahia, da Academia de Letras, Artes e Música da Bahia, da Academia de Letras e Artes de Fortaleza/CE; da Academia de Educação; do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia e do Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana, dentre outras. Já publicou 35 livros. Além disto, é poetisa, pesquisadora, memorialista, teatróloga, palestrante, filatelista e numismata.

Cachoeira
    17 de maio (Recôncavo Baiano)
Poeta convidado: Crispim Quirino
Endereço: Câmara de Vereadores de Cachoeira – Praça da Aclamação, S/N - Cachoeira, BA, 44300-000
    Criador do Recôncavocast o Podcast, participou da Flica 2022 e da Bienal do Livro da Bahia 2024. Articulador do Primeiro Consórcio de Cultura da Bahia. Lança seu primeiro livro de poesia Antologia Poética Inédita pela Cogito Editora. O Poeta Crispim Quirino é Bacharel em Museologia pela UFRB

Salvador
    18 de maio
Mediadora: Mirtes Santa Rosa
Livraria Escariz
Endereço: R. Fernão de Magalhães, 2992 - Barra, Salvador - BA, 40140-410

FICHA TÉCNICA: 
Título: Revolucionárias
Autora: Isabelle Anchieta
ISBN: 978-85-422-2498-6
336 páginas  
Adaptação de capa: Renata Vidal
Ilustrações de capa: Scholastic, 2021
Editora Planeta 

SOBRE A AUTORA:
    Isabelle Anchieta é uma socióloga que compartilha seus conhecimentos para compreender as difíceis (e ambíguas) relações humanas. É doutora em Sociologia pela USP, mestre em Comunicação Social e jornalista. Recebeu prêmio como socióloga brasileira pela Associação Internacional de Sociologia (ISA), com apoio da Unesco; prêmio Rumos Itaú Cultural e prêmio Abeu 2020, na categoria Ciências Sociais pela trilogia Imagens da Mulher no Ocidente Moderno.

SOBRE A EDITORA
    Fundado há 70 anos em Barcelona, o Grupo Planeta é um dos maiores conglomerados editoriais do mundo, além de uma das maiores corporações de comunicação e educação do cenário global. A Editora Planeta, criada em 2003, é o braço brasileiro do Grupo Planeta. Com mais de 1.500 livros publicados, a Planeta Brasil conta com nove selos editoriais, que abrangem o melhor dos gêneros de ficção e não ficção: Planeta, Crítica, Tusquets, Paidós, Planeta Minotauro, Planeta Estratégia, Outro Planeta, Academia e Essência. 

AUTORIA: Release do lançamento - Suzy Silva



PROGRAMAÇÃO DO MICARETA DE FEIRA DE SANTANA - 2024 = SÁBADO(20) E DOMINGO(21)

A programação postada nesta matéria é de inteira responsabilidade da Secom da Prefeitura de Feira de Santana, e a história do evento, aqui transcrita, é de autoria de Adilson Simas que é jornalista, editor do Blog "Por Simas" e um grande feirense. Publicada em livro, e no Blog do Santanópolis.

Publicado em: 18/04/2024 - 18:04:06

    A primeira festa momesca em Feira com o nome Micareta foi aberta no sábado, 27 de março de 1937, com o mesmo ritual dos tempos atuais: coroação das majestades e entrega das “chaves” da cidade ao Rei Momo. Era prefeito, Heráclito Dias de Carvalho.
Nos clubes, principalmente "25 de Março" e "Victória", na famosa "Rua Direita", hoje Conselheiro Franco, foram realizados bailes a fantasia reunindo a sociedade local, da região e até gente da "Bahia" (alusão aos moradores da capital).
    Nas ruas, em especial também na "Rua Direita", que foi o primeiro "quartel general" da folia, blocos, cordões, mascarados e batucadas ("As Melindrosas", "Flor do Carnaval", "Amantes do Sol", etc) se encarregaram de encher de brilho o que hoje se denomina ‘sitio da festa’.
    Ao longo do tempo, a micareta deixou de acontecer em razão da Segunda Guerra Mundial, e em 1964 por conta do "Golpe Março". Mas em 1945 só não houve folia de rua, pois a "25 de Março" publicou edital anunciando a realização de quatro grandes bailes.
    Concebida por personalidades notáveis da cidade, como Antonio Garcia, João Bojô, Mestre Narcisio, Maneca Ferreira, Manuel de Emilia, Álvaro Moura, Arlindo Ferreira e seguidores como Oscar Marques, Gilberto Costa, Carlos Marques, Ildes Meireles, Joselito Julião Dias, Osvaldo Franco e tantos outros escolhidos para presidi-la, a maior micareta do Brasil, cresceu e avançou.
    No começo dos anos 70, na gestão do prefeito Newton Falcão, a prefeitura criou uma diretoria especial e assumiu totalmente a festa em 1971, “aposentando” as tradicionais comissões organizadoras, que com o famoso “livro de ouro” visitavam pessoas e empresas buscando os recursos que bancavam a folia.
    Ainda naquela década o prefeito José Falcão criou a Secretaria de Turismo para cuidar de toda a programação. Na sequência, em 1975, instituiu concurso para a escolha do Rei Momo, não mais trazendo "Ferreirinha", o Rei Momo do carnaval de Salvador. Já o prefeito Colbert Martins criou os primeiros camarotes e arquibancadas.
    A micareta soube acompanhar os avanços da cidade. Os bailes à fantasia trocaram os salões da "25 de Março" e "Victória", pelos amplos e modernos da Euterpe Feirense, Feira Tênis Clube, Clube de Campo Cajueiro e outros menores como Clube dos Comerciários, Ali Babá, Clube dos Sargentos e Clube dos Trabalhadores. Ressalte-se que Tênis e Cajueiro, criaram os bailes pré-micaretescos, "Uma Noite no Hawaí" e "Caju de Ouro", respectivamente.
    Os desfiles e a animação popular, no começo na "Rua Direita" (desde a Conselheiro Franco até a Tertuliano Carneiro), chegaram às praças da Bandeira e João Pedreira, se expandiram pela avenida Senhor dos Passos e quando davam sinais que ocupariam toda a extensão da longa avenida Getúlio Vargas, foram transferidos em 2000, na última micareta do milênio, para a avenida Presidente Dutra, na administração do prefeito Clailton Mascarenhas, que promoveu as primeiras melhorias.
    Eunice Boaventura foi a primeira rainha da Micareta de Feira
    O espetáculo do préstito momesco com ricos carros alegóricos (os últimos nasceram da imaginação do artista Charles Albert), conduzindo rainha e princesas arrancando aplausos – entre elas e em tempos diferentes, Eunice Boaventura, Doralise Bastos, Helenita Tavares, Sonia Cerqueira, Alda Lima Coelho, Maria Angélica Caribé, Ana Maria Nascimento e Sônia Menezes – cederam lugar aos carros sonoros conduzindo moças e rapazes com coloridas mortalhas do "Bloco do Caju", "Fetecê", "Mendonça" e outros.
    Os blocos e batucadas, das primeiras folias, foram ganhando sucedâneos, de diversas origens, como o  "Pinta Lá", dos servidores públicos municipais; os trio-elétricos, como o pioneiro "Patury" de Péricles Soledade, nos anos 50, deram lugar a máquinas potentes como a da banda "Chiclete com Banana"; as marchinhas de compositores da cidade (Carlos Marques, Juca Oliveira, Estevam Moura, Gastão Guimarães, Eliziário Santana, Adalardo Barreto, Arlindo Pitombo, Aloísio Resende, Dival Pitombo, Alpiniano Reis, Honorato Bonfim e outros), saíram de cena dando espaço a letras interpretadas por "furacões" como Ivete Sangalo.
    As escolas de samba e os cordões de antigas micaretas abriram alas para "Malandros do Morro", "Unidos de Padre Ovídio", "Império Feirense", "Os Formidáveis" e "Marquês do Sapucaí", que à exemplo das antecessoras entregavam a autoria dos seus enredos à nova geração de compositores da terra, entre eles Carlos Piter, Vadu, Roberto Pitombo, Edson Bonfim, geralmente pregando o grito de liberdade, ou exaltando o mundo do candomblé.
    Eventos que anunciavam mais uma festa de momo, como "Grito de Micareta nos Bairros" com os cantores locais interpretando antigas e novas marchas e ranchos e o "Baile dos Artistas", este surgido no final dos anos 60, reunindo os meios artístico-culturais e convidados ilustres, as vezes com transmissões ao vivo, foram substituídos por "levadas" e "feijoadas", da mesma forma reunindo foliões e artistas, dias antes da abertura da festa.
    Por fim, no lugar dos antigos serviços fixos de som, narrando a folia registrada nas ruas – “SPR Constelação, a voz do sertão, falando diretamente da marquise da Loja Pires para onde abrange toda a sua rede sonora” -, as numerosas equipes das emissoras de rádio e televisão transmitindo em tempo real, para a Bahia, o Brasil e o Mundo, os lances de uma micareta que preserva do passado a grande animação dos foliões.

AUTORIA: Relato de Adilson Simas publicado pelo Blog do Santanópolis
Fotos




PROGRAMAÇÃO DO MICARETA DE FEIRA DE SANTANA - 2024 = QUINTA(18) E SEXTA(19)

A programação postada nesta matéria é de inteira responsabilidade da Secom, inclusive a história da festividade, que a nosso ver omite a figura João Bojô, que é também muito mencionado como um dos criadores da Micareta, mas isso é outra história!

Publicado em: 17/04/2024 - 22:04:38

HISTÓRIA DA MICARETA DE FEIRA DE SANTANA
    Inconformada com a interrupção do carnaval de 1937, por conta das fortes chuvas, a turma composta e liderada pelo coletor Maneca Ferreira e o professor Antônio Garcia, resolveram, no dia 27 de março do mesmo ano, realizar o evento.
    Maneca Ferreira era criador de carros alegóricos, que tinham uma participação marcante na folia.  Inicialmente a festa foi denominada de Micareme, copiado de uma festa popular francesa, mas terminou substituída por Micareta, escolhida em concurso.
    A Micareta de Feira de Santana teve seu primeiro circuito formado pelas ruas Direita e Tertuliano Carneiro. A rua Direita, hoje é denominada de Conselheiro Franco. A folia também se estendia pelas praças da Bandeira e João Pedreira.
    E toda folia momesca tem suas majestades. Eles são responsáveis em decretar o estado permanente da alegria no município de Feira de Santana durante os dias da festa.
    A primeira rainha da Micareta foi a foliã Eunira Boaventura, escolhida em clima de euforia e com muito Glamour, como acontecia nos Concursos de Miss da época. A majestade da folia, o Rei Momo I e único era o mesmo do Carnaval de Salvador, o motorista de taxi Ferreirinha com 130 kg. E foi somente em 1975 que aconteceu o primeiro concurso para eleger o primeiro Rei Momo de Feira de Santana, onde venceu Hilquias Carvalho.
    Além da folia nas ruas, com grupos folclóricos e bandinhas, a festa era realizada nos bailes de clubes tradicionais da cidade e nas filarmônicas feirenses.
    A primeira participação de um trio elétrico na Micareta de Feira de Santana foi registrada apenas em 1954. O trio Patury, criado por Péricles Soledade em parceria com José Urbano Cerqueira.
    Nas décadas de 60 e 70 o circuito da festa foi transferido para a avenida Senhor dos Passos e logo em seguida par a avenida Getúlio Vargas, onde foi realizada até o ano 2000.
    O Circuito Maneca Ferreira se tornou até hoje o local principal da festa momesca, situado na avenida Presidente Dutra. Também foram criados circuitos alternativos como o Quiolombola (trecho da avenida João Durval Carneiro) e Charles Albert (Kalilândia).
    Ao longo desses 79 anos, a Micareta de Feira de Santana só não tinha sido realizada em duas ocasiões: a primeira durante a Segunda Guerra Mundial, da qual alguns soldados feirenses também participaram, e a outra em 1964, em razão do Golpe de Estado. Com a pandemia, não foram realizadas as edições de 2020, 2021 e 2022.

AUTORIA: Secom da Prefeitura Municipal de Feira de Santana
Fotos




CASA NOISE APRESENTA MATEUS FAZENO ROCK PELA PRIMEIRA VEZ EM FEIRA DE SANTANA

O show será realizado no dia 25 de abril. Artista é um dos maiores destaques da cena atual

Publicado em: 12/04/2024 - 22:04:29

    A Casa Noise apresenta, pela primeira vez em Feira de Santana, o show “Jesus Ñ Voltará”, do jovem cantor, compositor e multiartista cearense Mateus Fazeno Rock, um dos nomes mais destacados da cena musical independente do Brasil atualmente.  
O evento será realizado no dia 25 de abril (quinta-feira), a partir das 21 horas. Os ingressos podem ser adquiridos pela internet na plataforma IngressoLive, na loja Feira Discos e na bilheteria da Casa Noise no dia do evento.
    Com um repertório composto por músicas autorais de Mateus Fazeno Rock, a Tour Jesus Ñ Voltará apresenta tanto as faixas do recém-lançado álbum "Jesus Ñ Voltará" de 2023, que conta com a participação de artistas como Mumutante, Má Dame, Big Léo, Jup do Bairro e Brisaflow, quanto faixas do seu primeiro álbum "Rolê nas Ruínas" lançado em 2020.
    O novo de disco é um dos maiores destaques de 2023 na música brasileira, acumulando quase um milhão de reproduções no Spotify. O álbum recebeu várias indicações e menções em diversas listas como a Folha de São Paulo, Tenho Mais Discos Que Amigos, Papel Pop, Noize, entre outros.
    O show na Casa Noise faz parte da Tour que já passou por diversas cidades, em palcos como Circo Voador (RJ), circuito Sesc SP e festivais como o Se Rasgum (PA), Coquetel Molotov (PE), DoSol (RN), Festival Zepelim (CE), Mostra Sesc Cariri (CE), Festival Morrostock (RS), Primavera Sound (SP) e Rec-Beat (PE) entre outros.

SELIGA
O Que: Show Jesus Ñ Voltará
Quem: Mateus Fazeno Rock
Onde: Casa Noise - R. Domingos Barbosa de Araújo, 900 - Ponto Central, Feira de Santana
Quando: 25 de abril (quinta-feira), 21 horas
Ingressos: www.ingressolive.com/casa-noise-apresenta-mateus-fazeno-rock-42569, na Loja Feira Discos na Galeria Carmac, em Feira de Santana e na bilheteria da Casa Noise, no dia do show

AUTORIA: Release da Ascom do Casa Noise - Elsimar Pondé



FEIRINHA DA JUREMA, DIA 13/04 NO MISS BROWN


Publicado em: 09/04/2024 - 10:04:18

    A Feirinha da Jurema, no Miss Brown, acontecerá no dia 13 de Abril (próximo domingo) , a partir das 16h. no espaço Miss Brown, promete uma tarde cheia de música, cultura e diversão, e de pronto convida a todos os apaixonados por arte para visitarem o espaço.
    O aviso para que o público se prepare para dançar ao som do pé de serra do grupo Bom de Xote, é sério, pois o grupo estará nos brindando com sua energia contagiante a partir das 17h, abrindo oficialmente nossa feirinha. Em seguida, assguram um mergulho no universo musical de Bel da Bonita e os Sambadores Virtuais, que farão o pré-lançamento de um disco especial, aprovado pela Educadora (talento e competência a toda prova).
    Terá também uma entrevista exclusiva conduzida por Elsimar Pondé, competente e renomado jornalista e radialista, que irá trazer insights valiosos sobre o lançamento do disco e o processo criativo por trás das músicas.
    De modo que é bom estar preparado para uma tarde memorável de música, arte e bons momentos. Faça parte da celebração que a Feirinha da Jurema estará nos proporcionando.


AUTORIA: Release do Evento / Viva Feira



DOMINGO TEM MUSEU - CUCA

O CUCA de portas abertas na manhã de domingo (07/04) com muitas opções artísticas e culturais para a comunidade feirense.

Publicado em: 04/04/2024 - 18:04:13

    Dentre os projetos que valorizam a cultura em nossa cidade, sem dúvidas o "DOMINGO TEM MUSEU" é dos mais importante, proporciona a possibilidade das familias visitarem os espaços do MRA e da Galeria Carlos Barbosa sempre enriquecido por outras atarações nos palcos do CUCA (Teatro Universitário e de Arena). No proximo domingo o Sarau do movimento: MOVIMENTO POÉTICO GERAÇÃO DE 20 - FEIREMA
    Nesta 2ª edição, o público terá a oportunidade de visitar a “MOSTRA TRÍADE - UM PASSEIO PELAS REPRESENTAÇÕES FEMININAS NO MRA”. Uma homenagem às mulheres, que visa evidenciar o protagonismo feminino no cenário das artes, através das coleções Inglesa, Moderna Brasileira e Contemporânea do Museu Regional de Arte.
    - O público também poderá visitar a “EXPOSIÇÃO MANDALAS CONEXÃO & NATUREZA da artista Nanda Brito que encontra-se em cartaz na @gcbcuca
    - E como parte da programação, ainda teremos uma OFICINA DE POESIA com a turma da @revistageracaode20
    - O Projeto acontecerá neste domingo 07 de abril de 2024, das 9h às 12h, no Museu Regional de Arte e na Galeria de Arte Carlo Barbosa, no Cuca.

AUTORIA: Viva Feira e release da Ascom do CUCA



BATALHA DE POESIAS - ELAS NO MAC

Nívia Maria Vasconcellos e Dayane Sampaio comandam Batalha de Poesia no Mac, dia 23

Publicado em: 22/03/2024 - 20:03:03

    Próximo sábado, dia 23 de março, das 14h às 17h, no Museu de Arte Contemporânea de Feira de Santana, Nívia Maria Vasconcellos e Dayane Sampaio irão comandar o Slam Elas no MAC, uma batalha de poesias.
    O Slam Elas no MAC será um momento de destaque e celebração da poesia autoral produzida, principalmente, por mulheres. Com poetas inscritas no momento do evento, o Slam dará espaço para artistas da palavra, principalmente de Feira de Santana e região, apresentarem-se e compartilharem seu trabalho e afetos.
    Por meio exclusivo do uso da voz e do corpo, sem uso de adereços ou acompanhamento musical, as participantes poderão se reunir, interagir e divulgar sua produção poética. O júri será formado na hora e a poeta slammer vencedora ganhará uma premiação em livros!

PEGUE SUA POESIA E VENHA BATALHAR!

SERVIÇO
O QUE: Slam Elas no MAC (Batalha de poesia)
QUANDO: sábado, dia 23/03, das 14h às 17h
ONDE: Museu de Arte Contemporânea de Feira de Santana (Rua Prof. Geminiano Costa, 255, Centro)
ENTRADA: Gratuita
INSCRIÇÃO: Gratuita

AUTORIA: Release da Ascom do Evento



PREFEITURA CONVOCA 17 APROVADOS NO REDA PARA ATUAR NA FUNDAÇÃO HOSPITALAR

Os convocados deverão comparecer em até 30 dias, contados da data da publicação do ato convocatório

Publicado em: 18/03/2024 - 12:03:32

 

    A Prefeitura de Feira de Santana convocou 17 aprovados no processo seletivo n° 001/2022, via Regime Especial de Direito Administrativo (REDA), para atuar na Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS). A relação consta em edição extra do Diário Oficial Eletrônico publicado no último sábado (16).
    Entre os cargos disponíveis estão: nutricionista, engenheiro de segurança do trabalho, agente de serviços gerais, agente de serviços hospitalares, analista jurídico e técnico em enfermagem.
    Os convocados deverão comparecer em até 30 dias, contados da data da publicação do ato convocatório, ao Departamento de Gestão de Pessoas da Secretaria Municipal de Administração (avenida Sampaio, 344, Centro), munidos de cópias e fotocópias de documentos pessoais exigidos para contratação - confira em anexo a relação.
    O candidato convocado e contratado que não comparecer no prazo estabelecido perderá o direito à vaga, salvo se requerer dentro do prazo inicial prorrogação por igual período. Ainda conforme a publicação, o candidato que, uma vez contratado deixar de entrar em exercício, nos termos legais, perderá os direitos decorrentes de sua contratação.

AUTORIA: Release da Ascom da Prefeitura de Feira de Santana



Mais Notícias

    A Feirinha da Jurema, no Miss Brown, acontecerá no dia 13 de Abril (pr&...

    Dentre os projetos que valorizam a cultura em nossa cidade, sem dúvidas...

    Próximo sábado, dia 23 de março, das 14h às 17h, n...

      A Prefeitura de Feira de Santana convocou 17 aprovados no processo sel...

      Francisco Pedrosa Galvão, mais conhecido como Chico Pedrosa, co...

      Em celebração ao Mês da Mulher, a Prefeitura de Fe...

    No 8 de março, não apenas celebramos, mas renovamos nossos c...

  PARA O ANIVERSÁRIO DO ROMÂNTICO FEIRENSE SALES BARBOSA- 150 ANOS. MOSAICO, ...

O aniversário de dois anos da Casa Noise será marcado por uma programaç&at...

A campanha de vacinação contra a dengue segue intensificada em Feira de Santana. D...


Página de 51
| | | | |

 

Apoio Cultural:



Viva Feira
© 2024 - Todos os direitos reservados - www.vivafeira.com.br