menu
-Agenda Cultural
-Restaurantes
-Teatros
-Museus
-Comentários
-Fale conosco
-Política de Privacidade
-Utilidade Pública
-Links Feirense
-Artes Cênicas
-Artes Visuais
-Artesanato
-Bandas
-Literatura
-Músicos
ENTRETENIMENTO
-Cinema
-Arquivo de Eventos
-Festival Vozes da Terra
-Festival Gospel 2010
-Natal na Praça 2010
-Micareta 2011
-Últimos Eventos
-Radio Viva Feira
-TV Viva Feira
-Videos Viva Feira
COLUNISTAS
-Beto Souza
-Cezar Ubaldo
-Emanoel Freitas
-Fabiana Machado
-Luís Pimentel
-Maiara Angels
-Raymundo Luiz Lopes
-Sandra Campos
-Sandro Penelú
-Silvana Carneiro
 
 
 
CHULA, MPB E BAIÃO AQUECERAM O ENCERRAMENTO DE MAIS UMA FASE DO MÚSICA NO MUSEU

Uma iniciativa da maior qualidade realizou a última edição de sua primeira fase, no último domingo (12/06/2016), deixando a expectativa do retorno no ar.
Publicado em: 14/06/2016 - 00:06:40
Fonte: Release de Laísa Melo (Ascom Cúpula do Som)


    A noite do dia 12 de junho foi movida à música e sentimento de saudade no Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira (MAC). Mais uma vez o projeto Música no Museu encerrou um ciclo. Chula, MPB e baião foram os principais ingredientes, não deixando de dar espaço a outros ritmos.
    Raymundo Sodré fez a alegria invadir o espaço. O artista, que aos 8 anos de idade já tinha contato com o atabaque nos terreiros de candomblé, e aos 16 implementou o violão a suas cantorias, mostrou porque na sua mistura percussiva e melódica ninguém fica parado. Foi um show bem dançante. Ao falar da canção “A Massa”, o cantor lembrou-se da mãe. “A Massa me consagrou em 1980. Foi um reconhecimento. Pena minha mãe não estar para ver o que me ensinou. Dá orgulho fazer algo que atravessa o tempo e está vivo”. Raymundo, que morou em outros estados e também fora do Brasil, afirmou que da Bahia não sai mais. Só para cantar e voltar.
    O show “Diverso”, de Ramon Lima, reuniu composições do artista de álbuns antigos e novas composições. Ramon continuou colocando o público para dançar. Bastante animado, convidou a todos para se mexerem ao som de salsa e reggae, dentre outros estilos que executou.
    Mais sublime, Juliana Greyce findou o evento. Tida como a ovelha negra da família, já que é a única artista, ela classificou o projeto como uma oportunidade maravilhosa para mostrar o seu trabalho autoral. A cantora, que quando mais nova ligava para o rádio e pedia músicas, tem o desejo de cantar com Tulipa Ruiz. Até início de 2017, Juliana está com previsão de lançar um DVD.
    A última noite do projeto Música no Museu terminou sob aplausos, com diversão, agradecimentos e vozes que perguntavam “é o último dia?”, pairando no ar a vontade da continuidade de um evento musical que busca agregar lazer a som de qualidade e variados gêneros musicais.

Este projeto tem o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia. Em parceria com a Cúpula do Som, Museu de Arte Contemporânea (MAC), Fundação Municipal Egberto Costa e Secretaria de Cultura de Feira de Santana.


Música no Museu - 6ª Edição

Apoio Cultural:


New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados