menu
-Agenda Cultural
-Restaurantes
-Teatros
-Museus
-Comentários
-Fale conosco
-Política de Privacidade
-Utilidade Pública
-Links Feirense
-Artes Cênicas
-Artes Visuais
-Artesanato
-Bandas
-Literatura
-Músicos
ENTRETENIMENTO
-Cinema
-Arquivo de Eventos
-Festival Vozes da Terra
-Festival Gospel 2010
-Natal na Praça 2010
-Micareta 2011
-Últimos Eventos
-Radio Viva Feira
-TV Viva Feira
-Videos Viva Feira
COLUNISTAS
-Beto Souza
-Cezar Ubaldo
-Emanoel Freitas
-Fabiana Machado
-Luís Pimentel
-Maiara Santos
-Raymundo Luiz Lopes
-Sandra Campos
-Sandro Penelú
-Silvana Carneiro
 
 
 
FEIRA NOISE REFORÇA IMPORTÂNCIA PARA CONSOLIDAÇÃO DA CENA INDEPENDENTE LOCAL

Das 30 atrações presentes na programação que começa nesta sexta-feira (22), 13 são feirenses!

Publicado em: 22/11/2019 - 04:11:22

    O Feira Noise Festival realiza mais uma edição a partir desta sexta-feira (22), no Aria Hall, em Feira de Santana (BA). O evento comemora uma década de existência e reforça a importância para a consolidação da cena da música independente local, que se mantém interessante e ativa.
    Em 2019, o Feira Noise contará com mais de 30 atrações, sendo 13 delas de Feira de Santana.     Os artistas e bandas locais irão dividir o palco com nomes de destaque da música contemporânea brasileira como Supercombo, Francisco El Hombre, Vivendo do Ócio, Larissa Luz e Zimbra em três dias de evento.

Confira a programação completa

    O produtor Joilson Santos afirma que não faria sentido realizar um festival sem os artistas da cidade. “Essa coisa de ter um formato de festival de música independente espelhado em outros festivais que acontecem no Brasil, a lógica é não só da gente ter nomes que não viriam de uma outra forma para a cidade, mas também amplificar a voz dos artistas daqui”, explica.
    Em todas as edições, o festival buscou inserir os artistas e bandas de Feira de Santana que dialogam com o formato, priorizando as produções autorais. “Essa relação que temos de vários anos flui com muita tranquilidade. Quando a gente pensa na programação do Feira Noise, a gente não consegue ignorar nomes que são bem atuantes na cidade e nomes que não são do nosso circuito, mas que a gente sabe que tá produzindo um material interessante”, afirma o produtor que é também um dos idealizadores do evento.
    O músico Pablues, que se apresenta no Palco Banana Atômica em dois momentos (na sextafeira, 2, com a Clube de Patifes e no sábado, 23, com o projeto Casapronta), chama a atenção para as  dificuldades de incentivo por meio de políticas públicas. “Se apresentar no Feira Noise é estar  atrelado a uma simbologia rica em resistência. Estamos aqui, firmes, fortes e juntos. Poder fazer parte dessa construção coletiva, com um outro olhar sobre a arte e cultura em Feira de Santana, é dar um tapa com luva de pelica na cara dos caretas”, destaca.
    A banda Sons de Mercúrio retorna à programação do festival, depois da estreia em 2018. “O Feira Noise hoje é sem dúvidas um dos festivais independentes mais representativos do Brasil. A Sons de Mercúrio foi recebida de braços abertos em 2018, quando ainda finalizávamos nosso disco de estreia. Foi muito importante essa participação pois nosso grupo passou a existir defato na cena musical baiana após aquele show. Este ano voltamos para consolidar nosso trabalho e nos qualificar para alçar voos ainda maiores, dentro e fora do estado”, conta o vocalista Mohzah Nascimento. A banda estará no Palco Budweiser no domingo, 24.
    Para a estreante JULI, o evento representa um grande passo para sua carreira. “Todos os trabalhos que eu estou lançando desde o início deste ano foi também visando estar no Feira Noise, que é o maior evento deste segmento em Feira de Santana. Eu sou feirense e tenho o maior amor e carinho pelo festival há muito tempo. Eu sinto que o festival é o primeiro grande passo de vários grandes  passos que eu posso dar”, conta a cantora que se apresenta no domingo, 24, no Palco Banana Atômica.

Os passaportes e ingressos antecipados estão à venda e podem ser adquiridos no site Sympla.

SERVIÇO
Feira Noise Festival – 10 anos | Aria Hall (FSA)
Data: 22, 23 e 24 de novembro
Horário: 19h
Local: Av. Pres. Dutra, 1226 – Centro, Feira de Santana (BA)
Ingressos: https://www.sympla.com.br/feira-noise-festival---10-anos__643180


AUTORIA: Release da Assessoria de Imprensa VAGALUME PRESS - Ana Paula Marques



DENISSON PALUMBO LANÇA CORDEL "KABRASUTRA" NO JECA TOTAL


Publicado em: 18/11/2019 - 17:11:13

    O poeta, cordelista e escritor soteropolitano Denisson Palumbo lança nesta quinta-feira (21), às 20h, no Jeca Total Bar, em Feira de Santana, o Kabrasutra, terceiro cordel publicado pelo autor. O evento, gratuito, terá intervenção poética de Zecalu e discotecagem de Brenus Tsokas.
    Com ilustrações de Daniel Santana, o Kabrasutra é definido por Palumbo como o manual do amor em condições de temperatura e pressão nordestinas. “Testa a flexibilidade das palavras em versos rimados, descreve nove posições sexuais: argolinhas no cangote, galope à beira sofá, colher de chá de pau, coruja no poleiro, fugindo com o circo, amassando a lataria, torcendo o rabo, subindo a serra e espia que vem gente. Dizem que sua venda será proibida para menores de idade. Certo é que quem ama transa”, brinca o artista sobre a publicação, que será vendida no local a R$ 15.
    Palumbo é graduado em Letras Vernáculas pela Universidade Federal da Bahia. Além de poeta, desenvolve oficinas de escrita, performances literárias e palestras sobre livro, leitura e literatura. Produz folhetos de cordel e livretos de poesia, de forma alternativa, além de conteúdo digital: vídeos e peças gráficas, em uma relação com o audiovisual e o design.

SERVIÇO
O que? Lançamento do cordel Kabrasutra, de Denisson Palumbo
Participações especiais? Zecalu e Brenus Tsokas
Quando? Quinta-feira (21), às 20h
Onde? Jeca Total Bar – Av. Santo Antônio, Ponto Central, Feira de Santana.
Mais informações? Instagram @denissonpalumbo

AUTORIA: Release da Jacarandá Comunicação - Mara Rocha



4º CONCURSO INTERNACIONAL DE POESIA – PRÊMIO CECÍLIA MEIRELES


Publicado em: 18/11/2019 - 11:11:38

    A Revista Literária Inversos – ISSN 2528-1857, é um periódico digital literário feirense, disponível online e em formato PDF, gratuito, de publicação trimestral. A revista possui registro sob o número SNIIC AG-49901, junto ao Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais, cujo editor-chefe é o poeta Maroel Bispo, membro efetivo da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana-BA.
    O 4º Concurso Internacional de Poesia – Prêmio Cecília Meireles, visa incentivar a criatividade literária, incentivar o hábito da leitura e da escrita e promover a Literatura e a Cultura através da arte poética. Além disso, busca prestar uma homenagem à ilustre poetisa brasileira Cecília Meireles.
    Escritora, jornalista, professora e pintora, Cecília é considerada uma das mais importantes poetisas do Brasil. Sua obra de caráter intimista possui forte influência da psicanálise com foco na temática social. Embora sua obra apresente características simbolistas, Cecília destacou-se na segunda fase do modernismo no Brasil, no grupo de poetas que consolidaram a "Poesia de 30".
    Cecília Benevides de Carvalho Meireles nasceu no Rio de Janeiro, dia 7 de novembro de 1901. Foi criada pela sua avó católica e portuguesa da ilha dos Açores. Isso porque seu pai havia morrido três meses antes de seu nascimento e sua mãe quando tinha apenas 3 anos. Desde pequena recebeu uma educação religiosa e demonstrou grande interesse pela literatura, escrevendo poesias a partir dos 9 anos de idade.
    Em 1919, com apenas 18 anos, publicou sua primeira obra de caráter simbolista, “Espectros”. Com 21 anos, casa-se com o pintor português Fernando Correa Dias que sofria de depressão e suicidou-se em 1935. Cecília ficou reconhecida mundialmente, uma vez que suas obras foram traduzidas para muitas línguas. Pelo trabalho realizado na literatura ela recebeu diversos prêmios, dos quais se destacam: Prêmio de Poesia Olavo Bilac; Prêmio Jabuti e Prêmio Machado de Assis. Além disso, realizou palestras e conferências sobre educação, literatura brasileira, teoria literária e folclore, em diversos países do mundo. Cecília falece ao entardecer na sua cidade natal, dia 9 de novembro de 1964, com 63 anos, vítima de câncer.

Regulamento
1 - Podem participar do presente edital, qualquer pessoa, brasileira ou não, maior de 18 (dezoito) anos, residente no Brasil ou no exterior. Os menores de 18 (dezoito) anos, caso queiram participar, devem encaminhar anexo ao e-mail, cópia em PDF da autorização assinada pelos pais ou responsáveis.
2 - A inscrição e a participação no concurso são gratuitas; nenhum autor efetuará pagamento ou receberá quaisquer valores pelo envio e publicação dos seus textos.
3 - Cada autor poderá inscrever até 02 (dois) poemas de sua autoria, sendo que apenas 01 (um) poderá ser selecionado.
4 - Os textos, escritos exclusivamente em língua portuguesa, deverão ter, no máximo, 30 (trinta) versos, com tema livre, não precisam ser inéditos; arquivo deve ser no formato Word ou PDF, espaçamento simples de 1,0, fonte Time New Roman, tamanho 12.
5 - Quanto ao gênero dos textos a serem enviados, serão aceitos exclusivamente poemas.
6 - Os textos deverão ser enviados em anexo para o e-mail: revistainversos@gmail.com e além disso, cada autor deverá enviar uma foto de perfil, formato JPEG e uma pequena biografia, com no máximo 10 (dez) linhas.
7 - Prazos: Inscrições: 10/11/2019 a 31/12/2019; análise e seleção dos poemas: 01 a 05/01/2020; divulgação do resultado: 06/01/2020; publicação da Antologia Digital no site: 10/01/2020.
9 – O Conselho Editorial da Revista Inversos selecionará, dentre os inscritos, 20 (vinte) textos, cuja decisão é soberana e irrecorrível.
10 - A título de premiação, os agraciados do 1º ao 3º lugar, receberão certificados digitais e livros impressos e os demais (do 4º ao 20º lugar), receberão certificados digitais.
11 - A Antologia 4º Concurso Internacional da Revista Inversos – Prêmio Cecília Meireles, com os vinte poemas selecionados, será organizada pelo poeta Maroel Bispo, e disponibilizada gratuitamente, online e no formato PDF, em anexo à Revista Literária Inversos – ISSN 2528-1857, periódico digital mantido pela Divisão Cultural da Associação Batista de Ação Social, tanto no site da revista, https://revistainversos.blogspot.com/, bem como na página oficial no Facebook (https://www.facebook.com/revistainversos/), nos quais também se encontram o regulamento do concurso.
12 - Caso haja interesse dos selecionados, o Conselho Editorial da Revista poderá providenciar a antologia impressa, mediante contribuição individual, com valor a ser definido oportunamente.
13 – Na Antologia serão publicados uma breve biografia e o poema e cada autor selecionado, além de três poemas de autoria da poetisa Cecília Meireles, em posição de destaque, como forma de reconhecimento e valorização da vida e obra dessa notável escritora brasileira.
14 - Ao realizar a inscrição, os autores cedem o direito de publicação e reprodução dos textos para a Revista Literária Inversos, sem ônus, apenas para os propósitos definidos neste edital e para promoção desta iniciativa (publicação nas plataformas digitais da revista e na antologia). Os direitos autorais dos poemas continuam sendo dos respectivos autores.
15 - Os casos omissos serão resolvidos pelo Conselho Editorial da Revista Literária Inversos.
Feira de Santana-BA, 08 de novembro de 2019.

Maroel Bispo
Coordenador do Conselho Editorial da Revista Literária Inversos

AUTORIA: Release do Conselho Editorial da Revista Literária Inversos



IV MOSTRA COLETIVA DO CLUBE DE FOTOGRAFIA DE FEIRA DE SANTANA


Publicado em: 12/11/2019 - 22:11:57

    Clube de Fotografia da Região Metropolitana de Feira de Santana realiza a partir das 19:30h do dia 13/11 a sua IV Mostra Coletiva no Museu Regional de Arte, localizado no CUCA-Centro Universitário de Cultura e Arte.
    Esta edição ratifica a vocação caleidoscópica dos seus integrantes, espargindo olhares que partem dos limites da intimidade e nos conduzem para além das nossas fronteiras. Como é próprio da fotografia, não há uma invenção do mundo, mas certamente, há uma inventividade no olhar. O fotógrafo nos diz: olhe p’ra isso! E, desse modo, nos convida a observar de frente, de lado, de soslaio; p’ra dentro, p’ro alto, p’ra longe; p’ro sertão e nossas paisagens, p’ras ruas das nossas cidades, p’ros corpos e suas verdades, p’ras viagens e suas saudades.
    Vale a pena embarcar nessa jornada imagética, onde a vista alcança a emoção, o olho se alinha ao coração e, parafraseando o poeta Accioly Netto, o seu olhar vai dar uma festa, na hora que você chegar!
    A Mostra ficará em pauta para visitação até o dia 20/12 e contará com fotografias dos membros do clube: Ingridy Lima, Iron Alves, Joy Freitas, Lula Mascarenhas, Mayana Izabel, Nei Rios, Paula Cavalcante, Renato Lima e Rosana Biscaia, e também dos fotógrafos convidados: Ana Reis, Ananda Nunes, Edson Machado e Tibério França, sendo este último o responsável pela curadoria das obras do clube.

AUTORIA: Release do Clube de Fototografias de Feira de Santana - Bahia - Joi Freitas e Iron Alves



MUSEU CASA DO SERTÃO IMPLANTA CENTRO DE MEMÓRIA DOS POVOS INDÍGENAS

Um novo espaço no Museu Casa do Sertão dedicado exclusivamente às comunidades indígenas do Nordeste!

Publicado em: 04/11/2019 - 10:11:37

    O Museu Casa do Sertão, entidade da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), oferece à comunidade mais um espaço de valorização da diversidade étnico-cultural. Trata-se do Centro de Memória dos Povos Indígenas do Nordeste, inaugurado terça-feira (29), que pretende reunir, periodicamente, diferentes manifestações, com suas culturas, realidades territoriais e simbolismos.
    Nesta primeira etapa, o Centro de Memória realiza a exposição ‘Indígenas do Nordeste: Cultura, Identidade e Resistência’, de autoria da artista visual Hortência Sant’Ana, estudante do curso Licenciatura em História. A mostra apresenta um recorte da cultura de dez etnias de discentes indígenas da Uefs: Atikum, Fulni-ô, Kaimbé, Pankará, Truká, Pankararé, Pankararu, Tumbalalá, Tupinambá de Olivença e Tuxá.
    A exposição fotográfica tem a curadoria da professora mestre Patrícia Navarro, do Departamento de Ciências Humanas e Filosofia da Uefs, coordenadora do projeto ‘Antropologia dos Povos Indígenas’, desenvolvido em parceira com a Pró-Reitoria de Extensão. A docente é idealizadora do Centro de Memória dos Povos Indígenas do Nordeste.
    Muitos dos estudantes indígenas da Uefs ingressaram na graduação através das políticas de ações afirmativas. E, como parte das medidas de incentivo à permanência, a Instituição oferece, no campus, residência indígena para moradia até o término do curso, possibilitando a prática de costumes e rituais.
Foto: Hortêcia Sant´ana
Identidades
    No Nordeste brasileiro, conforme salienta a professora Patrícia Navarro, há cerca de 80 povos indígenas pertencentes a ecossistemas distintos entre si (caatinga, litoral, mata atlântica). “Os índios do Nordeste, como são designados de forma geral os povos indígenas habitantes desta região do Brasil, são portadores de diversas culturas e apresentam características fenotípicas que, muitas vezes, os tornam Foto: Hortência Sant´anapassíveis de serem confundidos com parcelas da população nacional, a exemplo de comunidades rurais”, explica.
    A etnicidade destes povos é caracterizada, principalmente, por suas manifestações culturais como o Toré, o Praia e o Ouricuri, vivenciadas e, muitas vezes, incorporadas por outros povos indígenas como forma de reelaboração e afirmação da cultura. “Assim, o que distingue os povos indígenas do Nordeste são os símbolos que os instrumentalizam na afirmação e na expressão das suas identidades”.
    Patrícia Navarro observa que, ainda no século 21, há o desconhecimento acerca dos povos indígenas do Brasil e de sua diversidade cultural. Quando da chegada do colonizador português, relembra, habitavam as terras brasileiras cerca de mil povos indígenas, o que correspondia aproximadamente 2 a 4 milhões de indivíduos. Este número foi reduzido e, hoje, existem no território apenas 234 povos que 180 falam línguas diferentes”.

Serviço:
O quê: Exposição Indígenas do Nordeste
Local: Museu casa do Sertão – Campus Universitário. Av. Transnordestina, s/n - Novo Horizonte, Feira de Santana - BA, 44036-900
Agendamento: Telefone: (75) 3161-8750 e 3161-8751
E-mail: museucasadosertao@uefs.br
Horário de visitação: Segunda a sexta-feira de 8h15 às 11h30 e das 14h15 as 17h30

AUTORIA: Release da Ascom UEFS com fotos de: Hortência Sant´Ana
Fotos




JOVEM QUILOMBOLA LANÇA SEU PRIMEIRO LIVRO DE POESIAS NO DIA NACIONAL DA CULTURA

Os poemas da feirense Júlia Suzarte do distrito de São José da comunidade Lagoa Grande vem sendo divulgados por artistas nacionais famosos.

Publicado em: 29/10/2018 - 01:10:29

    Será lançado no dia 05 de novembro, dia nacional da cultura, às 19h, no café-teatro do Sesc, em Feira, o primeiro livro de poesias de Júlia Suzarte, cujo título da obra “No Meu Quintal” referencia o lugar de origem e de inspiração da jovem escritora. O livro que reúne cerca de 70 poemas foi editado pela editora Anjo e estará a venda no dia do lançamento, havendo também uma sessão de autógrafos com a autora e recital de poesias com música ao vivo com artistas locais.
    “Júlia Poeta” é assim que ela se identifica nas redes sociais e é como iniciou sua carreira artística, difundindo seus escritos no universo virtual, alcançando artistas famosos e inclusive um convite para participação no programa “Encontro com Fátima”, da rede Globo, realizado em 2018. Atualmente o instagram profissional de Júlia, oriunda da zona rural do interior da Bahia, que possui apenas 20 anos, está com mais de 8 mil seguidores, dentre eles artistas a exemplo de Nanda Costa, Astrid Fontenelle e Nando Reis que seguem o trabalho da escritora.
    A escritora possui muito estímulo dos pais que são agricultores e que se esforçam muito para mantê-la na universidade e para que ela prossiga profissionalmente com a sua trajetória literária. Além da família, Júlia também conta com o apoio da sua madrinha, Tâmara Andreucci, que foi sua professora e quem a incentivou a trilhar o caminho das letras.
    Segundo Tâmara “Júlia é a materialização de uma arte genuína e muito significativa. Ela escreve e chega a todas e todos de forma leve e intensa. Sua poesia é marcante pela verdade que conseguimos extrair dela, mas também pela simplicidade que traduz o mais singelo que temos em nós, muitas vezes escondido para dar lugar ao que a "sociedade do espetáculo" espera. Para mim, Júlia Suzarte é o verdadeiro show!”.
    Para Júlia Poeta o lançamento de seu primeiro livro de poesias expressa “Mesmo com tanta dificuldade/ Caindo, ralando... não faz mal!/ O meu peito transborda felicidade/ Enamorado No Meu Quintal”. O lançamento de “No Meu Quintal” conta com o apoio de Aloma Galeano: Produção cultural e eventos, Sidarta: Designer e ilustraçao, Corujão – Distribuidora, Sesc além dos artistas Karen Mendes, Dan Silveira, Zecalu, Domingos Santeiro e Franco Setúveal.

SERVIÇO:
O QUE: Lançamento do livro “No Meu Quintal”, de Júlia Poeta
QUANDO: 05 de novembro de 2019.
HORÁRIO: 19h
LOCAL: Café-teatro do Sesc
CONTATO: (75)98105-4689/ aloma.galeano@gmail.com

AUTORIA: Release de Aloma Galeano



“HOJE EU NÃO TO BOA" COM INGRESSOS A PREÇOS POPULARES

Adriano Lima Volta em cartaz com o já consagrado espetáculo que é sucesso de público em toda Bahia: “Hoje Eu Não Tô Boa”!

Publicado em: 24/10/2019 - 11:10:33

    Nessa nova Temporada de "HOJE EU NÃO TO BOA, Adriano Lima traz para o palco a internacional e conhecida do grande público a Doutora   Wanda celeste, que vem repaginada e muito atualizada, além de suas experiências vividas em Feira de Santana e Salvador desta vez ela vai contar como foi sua primeira palestra em NOVA YORK. E também fará no palco uma sessão de terapia, ” No Divã com a Wanda” Onde uma pessoa será convidada para participar da terapia, onde WANDA vai criar situações hilárias, por isso vale muito a pena e ir assistir essa nova temporada cheia de novidades e comemorando seis anos em cartaz a preços populares.   

SERVIÇO
O Que? -Hoje Eu Não To Boa !
Onde? -Teatro Margarida Ribeiro
Hora? -20:00
Quando?  26 & 27 de outubro
Quanto custa? – Temporada a valor Popular   R$ 20 inteira e R$ 10 meia 
Classificação? 14 anos 
Informações? -75-9-81087313/ 3625-9533
REALIZAÇÃO CIA. DAS GRAXEIRAS

AUTORIA: Release do espetáculo



MUSEU CASA DO SERTÃO REALIZA MOSTRA DE INSTRUMENTOS MUSICAIS FEITOS COM SISAL


Publicado em: 21/10/2019 - 11:10:00

    O Museu Casa do Sertão, entidade da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), realiza a exposição O Som do Sisal, que estará em cartaz desta segunda-feira (21) até 20 de dezembro. A mostra apresenta instrumentos musicais como violões, ukulele, violinos, sisalaixos (contrabaixo feito com sisal) e cavaquinhos, construídos a partir do reaproveitamento dos resíduos da cadeia produtiva do sisal, que ganham forma pelas mãos de crianças e adolescentes do projeto O Som do Sisal.
    A programação da mostra também contempla o 2º Sarau do Museu Casa do Sertão, na quarta-feira (23), das 14h às 17h30min, com apresentação de músicos integrantes do projeto O Som do Sisal e uso dos instrumentos construídos por eles. O evento também terá a participação dos cordelistas Jurivaldo Alves, Domingos Santeiro e Julio Rodrigues, além de apresentação de rap do estudante de Licenciatura em História da Uefs, Lázaro Souza.
    A exposição integra as atividades da 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, com o tema ‘Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável’, dentro do conceito da utilização sustentável e inovadora de recursos biológicos renováveis (biomassa). Nesse contexto, Josevaldo Nim, fundador do Projeto O Som do Sisal, explica que a ação de construção desses artefatos nasce como uma alternativa para conseguir mais instrumentos musicais a baixo custo e de criar um projeto novo, com a cara da cultura do interior da Bahia, região do sisal.
    Sustentável, socioeconômica e cultural, o projeto, iniciado na cidade de Conceição do Coité, é uma criação inovadora e tem recebido destaque, resultando em orgulho para os moradores da região do sisal. Conforme Josevaldo Nim, as pessoas ficam admiradas por conhecer, pela primeira vez, um instrumentoRobson di Almeida construído com a madeira do sisal.
    Este entusiasmo, salienta Nim, “é demonstrado sobretudo em quem conhece ou já trabalhou na dura atividade do motor do sisal, na qual muitas vezes as pessoas eram mutiladas, perdendo um braço ou ficando cegas”. Ele destaca que os instrumentos musicais “ressignificam o som batido do motor do sisal pela poesia das violas”.
    Além dos instrumentos musicais, a mostra reúne fotografias de Robson di Almeida e pinturas de Pepeu Ramos (telas com desenhos em pirografia) e  artesanato construído com agave, do espanhol Timbe Bernhardt. 

Serviço:
Abertura: 21 de outubro de 2019
Local: Museu casa do Sertão – Campus Universitário. Av. Transnordestina, s/n - Novo Horizonte, Feira de Santana - BA, 44036-900
Agendamento: Telefone: (75) 3161-8750 e 3161-8751
E-mail: museucasadosertao@uefs.br
Horário de visitação: Segunda a sexta-feira de 8h15 às 11h30 e das 14h15 as 17h30




MAC RECEBE CELEBRAÇÃO DE LANÇAMENTO DO LIVRO “TRANÇADO DE ASSOMBROS” DE MIGUEL ALMIR


Publicado em: 16/10/2019 - 18:10:15

    O livro de poemas “Trançado de assombros”, de Miguel Almir, publicado pela Editora Kalango, será lançado no próximo dia 31, às 19h30, no Museu de Arte Contemporânea-MAC. O autor é professor da Universidade Estatual de Feira de Santana (UEFS), circula pelas encruzilhadas da Arte, da Cultura, da Filosofia e da Educação e já lançou diversos livros, tanto de poemas como de ensaios. Seu último livro de poemas foi “Silêncios de ventania” e de ensaios “Dos Sentidos do Amor”.
    A novo trabalho apresenta uma seleção de poemas escritos nos últimos 5 anos e transita por diversas temáticas que perfazem os fluxos do cotidiano atravessando os desvãos das travessias demasiadamente humanas marcadas por inquietudes e arrepios, rasgos e penumbras, torrentes e remansos, indignações e utopias, pelo trançado dos assombros que nos movem e impulsionam.
    Além das imagens dos poemas, o livro também traz imagens de fotografias feitas pelo autor em suas andanças por diversos rincões. São fotografias que flagram as sutilezas de dobras, curvas, trançados, texturas e movimentos diversos de garranchos, folhas, cascas de árvores etc.
Capa    De acordo com o poeta Adriano Eysen, que prefacia o livro, a “poesia de Miguel Almir desafia a linearidade da razão pela ação transgressora do seu lirismo agridoce que opera nos recônditos da vida repleta de tramas, sagas, dobras, fissuras e incompletudes; (...) revela-se repleta de assombros marcados pela sua capacidade anímica de escrutinar as fissuras do existir humano”. E afirma também que o livro reúne “em versos e fotografias os trançados da vida que se movimentam nos ermos de cada um de nós”.
    O poeta Wesley Almeida afirma na orelha do livro que “Seus poemas têm auroras e plenilúnios que nos ‘insuflam pontadas de arrepios’. Ora nos alumbram como cantigas,
ora nos penumbram com murmúrios. (...) O livro é um convite a rolar como folha no terreno das palavras, voar como pipa no crepúsculo dos dias”.
    O lançamento, que será constituído de performances, recitais de poemas e de música, conta com o apoio do MAC, do Núcleo de Investigações Transdisciplinares (NIT) - Departamento de Educação (DEDU) da UEFS.

AUTORIA: Release do Culturass - Cid Fiúza



Mais Notícias

    O espetáculo FRIDA KAHLO, Indicado ao Prêmio Braskem de Teatro e ...

    A felicidade do sertanejo com a chegada do São João é o t...

    O FENATIFS - Festival Nacional de Teatro Infantil de Feira de Santana - chega ...

    O cantor Roberto Kuelho acaba de lançar o clipe da música Amor D...

     A banda-projeto soteropolitana Os Seixas se apresenta nesta sexta-feira (23),...

    O Centro Cultural e Restaurante Sesc Feira de Santana abriu esta semana inscri...

    O filme se passa em um futuro que aboliu todas as formas de leitura, transform...

    Evento que reúne a melhor linhagem de cavalos campolina marchador, vai ...

    A Fundação Municipal de Tecnologia da Informação, ...


Página de 26
| | | | |

 

Apoio Cultural:


New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados