Fechar Página

Raymundo Luiz Lopes
Nasceu em Salvador/Ba. Graduação - Licenciado em Pedagogia pela UFBA. Pós-graduação na área de Educação (UFBA). Ex-professor do ensino de 1º e 2º Graus em escolas em Salvador. Professor Titular do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e um dos fundadores da universidade. Criador e Editor da revista Sitientibus (www.uefs.br/sitientibus). Coordenador do Programa Interuniversitário para Distribuição do Livro (PIDL). Membro da Academia Feirense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana. Editou quatro números da revista desse instituto, quando Diretor de Publicações. Vice-Presidente da Fundação Carlo Barbosa. Membro Titular de Literatura no Conselho Municipal de Cultura. Rotariano pelo ROTARY CLUB NOVO HORIZONTE. Comendador - Comenda Escritor Godofredo Filho pela Câmara Municipal de Feira de Santana. Ex-professor de flauta doce do Seminário de Música de Feira de Santana, tendo sido, também, Secretário da diretoria. Tem formação e vivências em Terapias Holísticas, sendo professor de TAI CHI CHUAN. Professor da Universidade Aberta à Terceira Idade (UATI), desenvolvendo vivências na oficina - Tai Chi Chuan/Caminho para a Construção do Equilíbrio. Poeta, contista, ensaísta, tem vários trabalhos publicados em jornais, revistas e na internet. Participou da Antologia Poética, Pacto de Gerações, Salvador/1976. Lançou o conto Gambiarras para o Natal e, em 2002, o livro de poesias - Velas de Arribação. Haicaísta, tem uma centena de Haicais publicados em livros, jornais, revistas e em sites. Organizador do livro A Magia do Silêncio de José Maria Nunes Marques.

 



HAICAIS
 
 

 Melodiosa, a chuva

 

vai embalando os arvoredos –

 

outono sereno    

 

 

 

 

 

 

 

 

Irradiando o céu

 

o flamejante flamboyant -

 

escarlates lágrimas  

 

 

 

 

 

 

 Natal

Nessa santa noite


as poucas lembranças Dele - 

o banquete é farto 

 

 

 

 

Momentos a sós

no quintal daquela casa -

meu pé de araçá.

 

 

 

 

 

 

Luzes de Natal

nas promessas do comércio -

Jesus na vitrine!

 

 

 

 

 

 

 

Efêmero tom

no intervalo do tempo. 

Céu de outono.

 

 

 

 

 

 

 

 

Olhando o sol

a lua de verão ri.

Amor ano-luz.

 

 

 

 

Duas capivaras

saindo d´água não vêem


o vil engenho.

 

 

 

 






Brasil, pátria das chuteiras??!

Relembrando 2014...
Publicado em: 18.7.2021 - 10:07:16


Alguma semelhança com os dias de hoje?

O Brasil é a "pátria de chuteiras"? Responder sim é esquecer outros tantos predicados valiosos do nosso país. Mas, ainda, como se vê, o ufanismo futebolístico continua rolando na grama das Arenas, nos diversificados espaços desta antiga Terra de Santa Cruz. Contudo, as chuteiras não estão realizando a missão para que foram criadas. O problema não é delas, não? Descobri (incrível descoberta, vou registrá-la, logo, rss) que faltam medidas certas para encaixe naquele calçado. Produzir novas peças, acho que não! Novos pés, acho que sim!! Novas cabeças, sim! Só com o tempo e não podemos falar em curto prazo. Da infância à adolescência e até à fase adulta, mil situações ocorrem, luzes e sombras mudam de posição, às vezes, sem se esperar. Muitas luas passarão no campo dos passarinhos. Continuemos rogando aos céus? Desta feita, os santos ignoraram as súplicas da nação... Hum, vamos nos comunicar com as esferas mais longínquas, onde habitam os deuses antigos, senhores do tempo e do espaço, pedir que eles retornem? Ah, quem sabe, poderão mexer no que ainda resta de DNA do Brazilian Neanderthal!
 
 


Fonte: Raymundo Luiz Lopes







Página de 53




rayluiz@gmail.com



New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados