Fechar Página

Val Conceição
    Valmilton Conceição Pereira dos Santos, compositor, cantor e percussionista feirense, que assina artisticamente como Val Conceição, nascido sob o signo de sagitário (21/12/1972), no bairro da Rua Nova, um dos berços culturais da cidade, onde se concentra a maior população afro descendente de Feira, um núcleo fortíssimo de música afro e reggae da região. Por ser filho de músicos, aos cinco anos já desfilava em escolas de samba nos Micaretas feirense. Aos nove anos já fazia parte da bateria da Escola de Samba “Unidos de Padre Ovídio”, tocando repique, o que permaneceu até os 14 anos, quando passou a ser Mestre Sala Mirim nesta mesma escola de samba. Ainda com 14 anos foi apresentado ao Bloco Afro Moçambique, tendo se apaixonado pela musicalidade, assim passou a fazer parte da ala de percussão do bloco, mais tarde passando a fazer parte da ala de canto. Com  dezessete anos fundou o bloco “Afro Senegâmbia”, que esta até hoje em atividade.
    Com dezessete anos por uma provocação do Bloco Moçambique, que ofereceu um tema para que fosse composta a Música Afro base daquele ano (Guerrilheiros da Jamaica), através de um Festival de música afro, Val compôs sua primeira música, se inscreveu e venceu o festival.
    Após vencer o festival, Val se alistou no serviço militar, onde passou 04 anos servindo o exército, por ter opção de fazer uma carreira militar temporária o que o afastou da música temporariamente. Deu baixa, voltou para o movimento de música afro, ajudando seu pai a reativar uma escola de samba que estava inativa, a “Escola de Samba Império Feirense”, que desfilou nas Micaretas de 1997 e 1998, tendo naqueles dois anos vencido os desfiles de Escolas de Samba em Feira de Santana.
    E 1998 Val Conceição foi convidado para fazer parte do “Grupo Cultural Bahia-Brasil”, como percussionista e cantor, para uma turnê de doze meses no Japão, retornando ao Brasil em 1999.
    Voltando para o Brasil e, consequentemente, a Feira de Santana, desenvolveu outras atividades profissionais, mas sem abrir mão de seu ativismo no movimento de música Afro. Em 2001 voltou a fazer uma turnê internacional no mesmo grupo, só voltando ao Brasil um ano depois, em 2002. Neste retorno foi trabalhar na Kaiser, passou onze anos na Pirelli, mas sem nunca deixar o movimento de música afro.
    Em 2014 fundou o Bloco Afro “Império Africano” para desfilar na Micareta de Feira de Santana e passou a fazer parte da Associação das Entidades Culturais de Feira de Santana, da qual é um dos fundadores, neste mesmo período fez parte do Bloco Afro “Filhos de Malê”. Em 2015 com objetivo de ressignificar e requalificar o movimento afro de Feira de Santana, criou o Grupo Cultural “Moviafro”, o qual vem realizando diversos eventos culturais e sociais em Feira de Santana, a exemplo da “Miss Afro”, com grande repercussão na região.
    Atualmente é Assistente Administrativo do ArtMap  Mercado de Arte Popular, e como não podia deixar de ser Ativista Cultural continuando seu trabalho de divulgação e apoio a cultura afro-brasileira.





2ª Feijoada do Bando Anunciador 2017

A melhor feijoada do Bando Anunciador da Festa de Santana
Publicado em: 25/07/2017 - 11:07:53


O publico compareceu em massa e se divertiu com a diversidade musical.
O publico compareceu em massa e se divertiu com a diversidade musical.

Sucesso absoluto.....assim foi a feijoada do Bando Anunciador de 2017. Na sua segunda edição e com a coordenação do COLETIVO MOVIAFRO em parceria com a ARTMAP a feijoada do Bando Anunciador 2017 bateu recorde de publico no Mercado de Arte Popular. Cerca de mil pessoas se deliciaram com a comida e com as atrações musicais que abrilhantaram o evento. Teve de tudo nesta festa que já virou tradição na cidade. O Samba Junino do Palitó abriu os trabalhos fazendo todo mundo sambar embalados pelo mais autentico samba de raiz, em seguida, a musica afro teve sua vez com Val Conceição e Banda Lua Negra que fizeram a plateia dançar e cantar sucessos como: Faraó,A terra tremeu e Ladeira do Pelô.

Mais sem duvidas o publico presente estava aguardando a principal atração do dia. O Grupo Quixabeira da Matinha, subiu no palco por volta das 14:00hs e apresentou um dos seus melhores shows já visto, cantando seus sucessos antigos e atuais Guda Moreno e companhia contagiaram a todos que fizeram o caldeirão do mercado de arte enfervecer.

 

Com muita satisfação e alegria os presentes sambaram até o final da tarde e se dependesse deles a festa não acabaria tão cedo. Feira de Santana precisa valorizar um pouco mais seus artistas,existe uma grande massa que se tivessem de pagar para ver os shows, pagariam porem a maioria dos produtores de eventos daqui,valorizam demais o externo e não dão espaço para a prata da casa, e a prova disso se viu nessa feijoada. Foram produzidos 500 pratos de feijoada e todos foram vendidos ao custo de R$ 15,00, sem contar as bebidas que foram comercializadas também sem sobrar nada. 

Portanto, o publico paga pra ver o artista da terra só falta alguém apostar nisso. Disse o coordenador do COLETIVO MOVIAFRO, Val Conceição.

Em 2018, é certo a realização da terceira edição da FEIJOADA DO BANDO ANUNCIADOR no Mercado de Arte Popular



Fonte: Val Conceição







Página de 9




75 982366534


santosvalmito70@gmais.com





New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados