menu
-Agenda Cultural
-Restaurantes
-Teatros
-Museus
-Comentários
-Fale conosco
-Política de Privacidade
-Utilidade Pública
-Links Feirense
-Artes Cênicas
-Artes Visuais
-Artesanato
-Bandas
-Literatura
-Músicos
ENTRETENIMENTO
-Cinema
-Arquivo de Eventos
-Festival Vozes da Terra
-Festival Gospel 2010
-Natal na Praça 2010
-Micareta 2011
-Últimos Eventos
-Radio Viva Feira
-TV Viva Feira
-Videos Viva Feira
COLUNISTAS
-Beto Souza
-Cezar Ubaldo
-Emanoel Freitas
-Fabiana Machado
-Luís Pimentel
-Maiara Angels
-Raymundo Luiz Lopes
-Sandra Campos
-Sandro Penelú
-Silvana Carneiro
 
 
 
REISADOS - AS PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DA CIDADE

Após as comemorações de Natal e Ano Novo as festas de Reis são as primeiras manifestações culturais tradicionais de Feira de Santana, como deve ocorrer em várias outras regiões.
Publicado em: 29/12/2017 - 12:12:37
Fonte: Viva Feira


    Decorrente da nossa origem cristã e com influência de manifestações populares espanholas e portuguesas as homenagens aos Reis Magos são tratadas em Feira com total descaso, e por isso mesmo,  certamente irão se descaracterizar da forma tradicional de como acontece o evento em nossa região. Isso se não tomarmos uma providência séria e responsável em defesa deste festejo secular que faz parte do nosso calendário cultural.
    Feira abriga vários grupos que comemoram a chegada dos Reis Magos à manjedoura onde Jesus nasceu, a saber: o "Reisado de São Vicente (Tiquaruçu)", o  "Reisado Estrela de Belém (festejado na própria sede de Feira)" e a "Festa de Reis da Paróquia Santa Rosa" de Ipuaçu (Atual Distrito, Governador João Durval Carneiro), além de outros que temos notícias vagas e que não conseguimos contato para confirmação. A Exceção do Reisado Estrela de Belém que não temos informação os demais são realizados, ao que se sabe, há mais de cinquenta (50) anos.
    A "Folia de Reis", "Reisado", ou ainda "Festa de Santos Reis", embora de região para região possa ter uma pequena variação na denominação, se trata de uma manifestação cultural religiosa festiva e já, há muito, classificada no Brasil como folclore, que é praticada pelos adeptos e simpatizantes do catolicismo, com o intuito de rememorar a atitude dos Três Reis Magos (Baltasar, Belchior e Gaspar), que partiram em uma jornada à procura do esconderijo onde nascera o prometido Messias, tendo alcançado seu objetivo de acordo com o registro religioso em seis de janeiro. Em algumas regiões a festa chegava a começar antes mesmo do dia 25 com as visitas de casa em casa como se fosse a trajetória dos Reis a procura do local de nascimento do herdeiro de Deus.
    Alguns registros dão conta que na Europa era comum que os festejos de Natal comemoravam com grupos que visitavam as casas, tocando músicas alegres em louvor aos "Santos Reis" e ao nascimento de Cristo. Segundo estes mesmos relatos, essas manifestações festivas estendiam-se até a data consagrada aos Três Reis Magos, 6 de janeiro. No Brasil este comportamento também era observado em algumas regiões.
    A Espanha é apontada como um dos locais onde esses costumes tinham mais força, embora fosse praticado em outros locais da Europa também, tendo ganhado grande popularidade  especialmente durante o século XIX.
    No Brasil as homenagens aos Reis Magos acontecem de norte a sul, com pequenas diferenças de um local para outro, o que apenas enriquece a tradição, mas em essência parte daquela forma iniciada no velho continente de levar à festa as casas dos vizinho e paroquianos com cânticos e representações bem humoradas, compostas por personagens que surgiram nas manifestações para darem mais vida e alegria ao evento. Destacam-se nestes festejos cidades do interior dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro e Goiás, principalmente.
    Além das figuras dos três Reis Magos, outras são imperativas e fundamentais à folia, como os palhaços (denominados também de bastiões), o mestre ou embaixador, o capitão, o festeiro, o coro que é composto normalmente no mínimo de seis pessoas, o bandeireiro ou alferes da bandeira, podendo haver outros personagens em algumas regiões e em outras não. Um costume que é obedecido em todas as folias e em todas as regiões onde ocorre o evento é a canção de chegada, onde o líder pede permissão ao dono da casa para entrar, e a canção da despedida, onde a folia agradece as doações e a acolhida, e se despede.
    Em nossa região o único Reisado a receber um certo apoio é o de Tiquaruçu tendo em 2013 a Secretaria de Cultura ter realizado um patrocínio para que a Festa de Reis da Paróquia Santa Rosa de Ipuaçu pudesse contratar os artistas, Mazinho Venturyne, Baía e Banda, e o Forró com Mel, para encerramento dos festejos. Em Tiquaruçu a participação da Secretaria é sempre neste sentido, monta um palanque ao lado da Igreja e contrata algumas atrações para o encerramento dos festejos, o que lota a praça do Distrito de público de toda a região, mas o Reisado propriamente dito não tem a menor Divulgação. Inclusive um festejo de rara beleza e praticado pelos foliões de Tiquaruçu é a "Alvorada" (acontece ao raiar do sol), que a maioria da população nem sabe que existe. São aquelas visitas dos personagens às residências convidando os moradores a participar dos festejos conforme relatamos anteriormente.
    Nosso São João nós já permitimos que fosse transformado em uma festa de largo, comum, sem brilho e sem nenhuma das características do evento tradicional, que aliás só continua acontecendo nas pequenas comunidades, onde o poder público não interfere. O Reisado está indo na mesma direção, isso não é uma avanço, mas descaso com a cultura e com nossas tradições.
    Precisamos urgentemente de um trabalho para que as pessoas conheçam a verdadeira Folia de Reis, ou como queiram chamar e só depende das autoridades "competentes".
    O Viva Feira, este ano, vai tentar informar com mais precisão o calendário dos Reisados da região, para que mais pessoas possam assistir ou participar das folias.



Apoio Cultural:



Arraial de Feira
New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados