menu
-Agenda Cultural
-Restaurantes
-Teatros
-Museus
-Comentários
-Fale conosco
-Política de Privacidade
-Utilidade Pública
-Links Feirense
-Artes Cênicas
-Artes Visuais
-Artesanato
-Bandas
-Literatura
-Músicos
ENTRETENIMENTO
-Cinema
-Arquivo de Eventos
-Festival Vozes da Terra
-Festival Gospel 2010
-Natal na Praça 2010
-Micareta 2011
-Últimos Eventos
-Radio Viva Feira
-TV Viva Feira
-Videos Viva Feira
COLUNISTAS
-Beto Souza
-Cezar Ubaldo
-Emanoel Freitas
-Fabiana Machado
-Luís Pimentel
-Maiara Angels
-Raymundo Luiz Lopes
-Sandra Campos
-Sandro Penelú
-Silvana Carneiro
 
 
 
A Lua seria oca?


Publicado em: 28/12/2017 - 14:12:48
Fonte:


Vários são os livros que descrevem evidencias recolhidas durante experiências sísmicas realizadas pelo programa Apolo, afirmando que a Lua é Oca. E por que este fato seria tão assustador? Ora, segundo as palavras do astrônomo Carl Sagan,  “um satélite natural não pode ser um objeto oco”. (!)

 

*AS EVIDÊNCIAS SÃO CONTUNDENTES - Em novembro de 1969, durante a expedição da Apollo 12, a NASA fez Uma experiência para um estudo sísmico na Lua: deixou o módulo lunar colidir com o solo, causando um impacto equivalente a uma tonelada de TNT. Estranhamente, as ondas de choque do impacto demonstraram que lua soou como um sino, em uma reverberação que durou quase uma hora.

 

*EXPERIÊNCIA REPETIDA - Este experimento foi repetido pela Apollo 13, com resultados ainda mais impressionantes. Os instrumentos sísmicos registraram reverberações que duraram mais de três horas e vinte minutos e que viajaram a uma profundidade de 40 quilômetros.

 

*CASCA DURA – Se realmente a Lua for oca, seria natural que impactos de meteoritos a despedaçassem com enorme facilidade. Porém, para espanto geral da comunidade científica, descobriu-se que o oposto acontece com sua superfície, que é inexplicavelmente muito mais resistente que o aquilo que se possa imaginar. A casca lunar funcionaria como um incrível escudo protetor...

 

         *UMA COMPARAÇÃO DE CAIR O QUEIXO - Quando um meteorito cai na Terra, ele sofre uma natural desaceleração, pelo atrito do ar ao entrar na atmosfera. Isso faz com que ele atinja o solo mais fragmentado e com menor velocidade. A partir daí, há estudos matemáticos que fazem a relação direta entre o diâmetro da cratera com sua profundidade (largura e profundidade do buraco causado pelo impacto do meteorito no solo). Uma vez que a Lua não tem atmosfera, o esperado é que as crateras lunares fossem muito mais profundas e avassaladoras do que as da Terra. Porém, surpreendentemente, ocorre o contrário. Lá, os impactos são imensamente menores. E por qual motivo isso acontece? Descobriu-se que o material com que a superfície da Lua é formada é tão extraordinariamente resistente que crateras com mais de 290 km de diâmetro não ultrapassam 6,5km de profundidade. Se a Lua fosse um pedaço de rocha homogêneo, estes buracos deveriam ser pelo menos 4 ou 5 vezes maiores.

 

*A LUA TEM ELEMENTOS QUE NÃO DEVERIAM ESTAR LÁ – A comunidade científica questiona a existência de certos materiais na Lua, como: titânio (como a Lua poderia ser tão dura e conter uma taxa de titânio tão elevada?), Latão (que é conhecidamente um metal PROCESSADO); Urânio 236 e Neptunium 237 (que nunca foram encontrados naturalmente. O urânio 236 é um tipo de rejeito nuclear radioativo e o neptunium 237 é radioativo e subproduto de reatores nucleares e da produção de plutônio).

 

         *CONCLUSÃO – Existem muitos mistérios entre o Céu e a Terra, ainda por desvendar... 




Apoio Cultural:



Micareta 2018
New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados