menu
-Agenda Cultural
-Restaurantes
-Teatros
-Museus
-Comentários
-Fale conosco
-Política de Privacidade
-Utilidade Pública
-Links Feirense
-Artes Cênicas
-Artes Visuais
-Artesanato
-Bandas
-Literatura
-Músicos
ENTRETENIMENTO
-Cinema
-Arquivo de Eventos
-Festival Vozes da Terra
-Festival Gospel 2010
-Natal na Praça 2010
-Micareta 2011
-Últimos Eventos
-Radio Viva Feira
-TV Viva Feira
-Videos Viva Feira
COLUNISTAS
-Beto Souza
-Cezar Ubaldo
-Emanoel Freitas
-Fabiana Machado
-Luís Pimentel
-Maiara Angels
-Raymundo Luiz Lopes
-Sandra Campos
-Sandro Penelú
-Silvana Carneiro
 
 
 
NOVA TEMPORADA DO ESPETÁCULO "ENCARCERADAS"

Consagrado pelo público feirense o Grupo Recorte de Teatro nos premia de volta com este intrigante e inquietante espetáculo.
Publicado em: 17/03/2017 - 00:03:44
Fonte: Release do Grupo Recorte de Teatro


    “Minha filha despertou para o tema, para aprender a se livrar de ciladas como drogas e prostituição que podem pôr fim à liberdade. A história de cada encarcerada é chocante. É forte, é real e nos fez refletir”, declara Tânia Souto, mãe da adolescente Beatriz, ao recomendar a peça Encarceradas, do diretor e historiador Fernando Souza. O espetáculo abre nova temporada no Teatro do CUCA, nesta sexta e sábado (17 e 18.03), às 20h, em celebração ao mês do teatro.
    A montagem teatral é recomendada, principalmente, aos estudantes e profissionais das áreas humanas e, e especial, a todos os adolescentes que precisam conhecer as armadilhas para mundo do crime. A idade mínima recomendada é de 12 anos. A peça provoca uma reflexão sobre o sistema prisional do Brasil e retrata o esquecido ambiente carcerário feminino. “Numa sociedade onde a mulher já faz de tudo e, muitas vezes, não é valorizada, imagina uma encarcerada”, declara o diretor ao explicar um pouco sobre suas motivações para escrever essa trama que emociona, faz rir do que não tem a menor graça, leva o público a pensar jun
to com o elenco e sacode a sociedade que segue a vida como se aquelas mulheres presas nem existissem. O que as levou ao crime? Como é o dia a dia? Encarceradas fala de abandono, da dor da saudade, de criminalidade e conta casos que mais parecem histórias fictícias de livros ou filmes.
    Através do teatro realista de Stanislavski e com uma linha Brechtiana de apresentação, a peça é fundamentada em mais de dois anos de pesquisa teórica e de campo. O elenco visitou o Complexo Penal de Feira de Santana, Bahia, onde fez o seu principal laboratório, e se surpreendeu com os casos ali conhecidos. “Trouxemos para o palco traços de personalidade, jeito de olhar, de falar, de arrumar o cabelo... tudo que vimos serviu de inspiração para criar Chica, Binha, Popozão, Soraya e Patrícia, nossas personagens encarceradas. Foi uma experiência inesquecível”, conta Carol Acos, atriz. Após a estreia, a peça voltou ao presídio para apresentar às presas o resultado desse trabalho tão criterioso. Aníbal Bastos conta que elas tiveram as mais surpreendentes reações. “É arte na sua forma mais plena: com função social clara e efetiva. Foi demais!”, declara o ator.

    Política é política
    Ação social é ação social. Arte é arte. Para a atriz Elidiane Souza, Encarceradas é um mosaico dessas áreas e uma oportunidade imperdível para essa reflexão importante. “Essa peça nos permite desempenhar o mais autêntico papel de artista, que é fazer as pessoas pensarem sobre a sociedade da qual fazem parte”, comenta. Além de levar entretenimento, o espetáculo leva para os palcos mais que uma peça de teatro, uma questão social. “É muito importante entender a arte com esse olhar social”, destaca Lorena Porto, atriz.

    Grupo Recorte de Teatro
    Nasceu há três anos após o resultado de oficina no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca) orientada pelo então professor Fernando Souza. Ganhou experiência, profissionalizou-se e, hoje, conta com atores convidados como é o caso de Aníbal Bastos e Lorena Porto. Uma seleção de atores trouxe para o grupo mais duas talentosas atrizes, Catharina Arouca e Júlia Lorrana. Em 2017, a companhia de teatro estreia seu novo espetáculo NEM AMÉLIAS, NEM QUITÉRIAS, com uma abordagem sobre a violência doméstica, tendo o machismo como pano de fundo.

SERVIÇO
O quê? Encarceradas
Texto e direção de Fernando Souza.
Quando? 17 e 18.03.2017, às 20h
Onde? Teatro do CUCA (Rua Conselheiro Franco, 66 - Centro. próximo à Praça da Matriz. Feira de Santana/BA.)
Quanto? R$ 24 (Inteira) R$ 12 (Meia).
Professores pagam meia entrada. Apresente um panfleto ou curta a página do Grupo Recorte de Teatro para também ter direto a meia entrada.
Informações e reservas 75 9 9131.4527.
Elenco: Aníbal Bastos, Bruna Luz, Cathy Arouca, Carol Acos, Daiane Cruz, Elidiane Souza, Felipe Rodrigues, Geisa Leite, Júlia Lorrana, Lorena Porto.

Quer saber mais?
https://www.facebook.com/gruporecortedeteatro/
http://feirenses.com/peca-encarceradas-feira/
https://youtu.be/JFbfzAs87Dk

Fotos



Apoio Cultural:



Micareta 2017
New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados